Clínica Leger com tratamento para rugas

Clínica Leger com tratamento para rugas

Tratamento para rugas: As rugas são vincos, sulcos ou franzidos na pele que surgem em decorrência do processo de envelhecimento natural da pele e dos músculos, por meio de contrações musculares repetidas, carência alimentar e exposição contínua ao sol.

Apesar de serem resultado dos processos naturais do organismo, alguns fatores externos podem agravar essas rugas, como a fumaça do cigarro, estresse e alterações dos hormônios femininos.

Os tratamentos para rugas são divididos em tratamentos clínicos e cirúrgicos. Nos tratamentos clínicos estão as aplicações de cremes, os peelings químicos, os implantes de colágeno e ácido hialurônico, e as aplicações de laser.

Nesta categoria de tratamento para rugas está também o uso da toxina botulínica tipo A, mais conhecida pelo seu nome comercial*.

Conheça os principais tipos de tratamento para rugas
Laser de CO2 Fracionado: O laser CO2 fracionado no tratamento para rugas objetiva o rejuvenescimento dos tecidos faciais. Ele age substituindo a pele com aspecto envelhecido por uma mais nova por meio da estimulação do colágeno, pois possui em sua tecnologia a propriedade de tratar a derme de maneira mais profunda. Devido a sua afinidade com a água, suaviza as rugas finas dos lábios, rugas da testa e os famosos “pés de galinha”.

Saiba mais: Proteína asiática preço

O procedimento de tratamento para rugas a laser trabalha a partir da emissão de ondas de laser, levando os locais atingidos a responderem por meio de um processo de reconstituição. Essa resposta acontece através da contração imediata da pele, devido à contração do colágeno a temperaturas acima de 60°C.

tratamento de rugas a laser co2O tratamento para rugas com uso do laser CO2 fracionado é realizado com anestesia local, no próprio consultório, e as sessões duram em média de 20 a 45 minutos, variando de três a cinco sessões com intervalos de 30 dias.

Os resultados são visíveis a partir da primeira sessão, quando se percebe a diminuição dos poros e das rugas finas. Em casos de rugas profundas, os resultados aparecem, normalmente, após seis meses.

Após o tratamento, é indicado que a pele não seja exposta ao sol, por pelo menos 15 dias após as aplicações, a fim de evitar o aparecimento de manchas.

Também é indicado que nas primeiras horas, se usem compressas de gelo ou de camomila para aliviar as ardências. É aconselhado manter a pele hidratada com óleos ou cremes.

Radiofrequência: A radiofrequência no tratamento para rugas é um procedimento realizado livre de lesões, cortes ou inchaços, e que visa suavizar rugas e marcas de expressão. A radiofrequência age por meio da liberação de ondas de calor na camada onde se encontra o colágeno. Por meio deste aquecimento as fibras de colágeno se contraem, aumentando o metabolismo dos fibroblastos, regenerando as fibras de colágeno, amenizando as rugas e estimulando um novo tecido mais jovem.

O tratamento para rugas varia de 10 a 15 sessões, com aplicações uma vez por semana com duração de 20 a 40 minutos. O número das sessões e a sua duração podem variar de acordo com o grau de profundidade das rugas.

Toxina botulínica: A aplicação da toxina botulínica no tratamento para rugas é feita através de pequenas injeções nos locais a serem tratados. Essa substância paralisa a musculatura, impedindo a transmissão dos impulsos do neurônio para o músculo e, posteriormente, a relaxa.

O tratamento para rugas é feito por meio da utilização de anestesia tópica, seguida da pomada e da posterior aplicação da toxina botulínica A. O procedimento tem duração de aproximadamente 30 minutos, e os resultados começam a aparecer entre dois e sete dias, permanecendo em torno de quatro a seis meses.

Após o tratamento com toxina botulínica para rugas é indicado evitar exposição ao Sol, não deitar-se por quatro horas, não realizar atividades físicas no dia da aplicação e, por último, não massagear a área tratada.

botox no tratamento para rugas

Drenagem linfática facial: A drenagem linfática facial é um tratamento que impede o aparecimento de rugas e marcas de expressão, amenizando os efeitos provocados pela exposição ao Sol e pelo cansaço. O procedimento é realizado manualmente pelo fisioterapeuta, por meio de sessões de massagens relaxantes, que beneficiam a eliminação dos dejetos da metabolização celular, diminuindo, assim, a fibrose tissular.

O número de sessões varia de seis a dez, com aplicações de uma a três vezes por semana, com duração de 30 a 40 minutos.

Peeling de Diamante: O procedimento de peeling de diamante é realizado com uma caneta a vácuo, que possui uma ponteira de diamante de diferentes espessuras. Ela desliza sobre a pele esfoliando e refazendo a superfície facial, renovando as células, estimulando a formação do colágeno, proteína natural.

São feitas, em média, de cinco a dez sessões, com intervalos de 15 dias entre elas. Após o tratamento, o paciente pode voltar normalmente as suas atividades cotidianas, pois não é necessário qualquer tipo de recuperação. Além disso, o peeling de diamante pode ser feito em todos os tipos e tons de pele, sem provocar manchas.

Peeling Químico: O peeling químico é uma solução aplicada na pele que tem o objetivo de remover as células mortas e estimular a formação de novas. O tratamento depende da profundidade das rugas, o que determina os resultados e a intensidade com que o peeling químico será aplicado.

O tratamento é feito a partir da retirada de uma camada da pele, que é posteriormente regenerada devido à ação de células que permanecem em determinados pontos e com capacidade de reprodução.

Após o tratamento, é necessário de cinco a sete dias de recuperação. A pele pode aparentar uma severa queimadura solar, mas isto será causado pela sensibilidade da mesma em relação à luz, sendo necessário, assim, evitar a exposição ao Sol pelo período indicado pelo responsável pelo procedimento.

peeling-quimico

Luz intensa pulsada: A luz intensa pulsada pode emitir diferentes comprimentos de ondas, mas todos agem a partir da geração de calor na pele, atingindo a melanina, os vasos sanguíneos e o colágeno. O procedimento é realizado sem provicar lesões, atuando apenas na formação de um novo colágeno.

Bioplastia para preenchimento de rugas: A bioplastia facial é um tratamento realizado por meio do preenchimento, a fim de eliminar as rugas e marcas de expressão. Em sua aplicação, são passíveis de serem utilizados tanto produtos absorvíveis como o ácido hialurônico, quanto não absorvíveis, como o polimetilmetacrilato (PMMA).

O procedimento é feito com a utilização de anestesia local. O produto mais utilizado para o preenchimento de rugas é o ácido hialurônico, visto que ele apresenta-se como um componente natural da pele, sendo absorvido pelo organismo no período de seis a 12 meses.

Tratamento de choque para mãos e pés ressecados

Tratamento de choque para mãos e pés ressecados

Anda sofrendo com unhas descamando, mãos secas e pés rachados? Pode ser culpa do frio! Mas dá para reverter a situação fácil, fácil.

Faltam pouco mais de três semanas para acabar o inverno. Ufa! Mas os efeitos dos meses de clima frio e seco a gente vê na pele. Mãos enrugadas, unhas que se lascam, pés ásperos. Não dá nem para pensar em comemorar a chegada da nova estação, com seus esmaltes pastel e sandálias abertas, nessa situação.

Leia também: pé ressecado causa

Rotina de cuidados com a pele
4 Passos para um rosto jovem
10 Atitudes ruins para a sua pele
Aproveite essas últimas semanas para fazer um tratamento intensivo de recuperação para florescer, linda, assim que a primavera chegar.

Mãos em choque
No inverno é preciso dar especial atenção às mãos por estarem mais sensíveis à lavagem que o normal. “Sem os devidos cuidados, elas podem rachar e ficar doloridas”, avisa Ligia.

“Use cremes especiais para mãos que contenham ácido glicólico, um ativo poderoso capaz de remover asperezas e fissuras. É indispensável que contenham ainda ureia e silicones, para conferir hidratação profunda e uma camada protetora contra danos mecânicos e perda de água”, avisa.

SHOP: 1 Creme para as Mãos – Ligia Kogos Mãos Creme | 2 Creme para as Mãos e Cutículas – Clinique Deep Comfort

Unhas que se lascam
O ressecamento afeta as unhas, deixando-as riscadas e quebradiças, podendo apresentar desfolhamento. “Hidrate-as com cremes lubrificantes consistentes diariamente ou no mínimo semanalmente”, aconselha ela. A dermato diz ainda para você deixar as unhas sem esmalte uma noite por semana para repousar.

SHOP: 1 Creme para as Unhas e Cutículas – Ligia Kogos | 2 Creme para Unhas e Cutículas – Burt’s Bees Lemon Butter Cuticle

Pés maltratados
No inverno, a gente usa botas e sapatos bem fechados para manter os pés quentinhos. Mas eles podem sofrer com aperto e abafamento. “Para cuidar bem deles, use cremes a base de ácido salicílico, ureia e alantoína”, fala Ligia. Aplique diariamente após o banho, passando sobre todo o pé, nas unhas e sob elas.

“Esses produtos também podem ser aplicados em joelhos e cotovelos, combatendo a aspereza e o ressecamento.” Outra dica é deixar os pés imersos na água quente durante o banho, o que atenua dores e recompõe a pele. “Nessa hora você pode também fazer uma esfoliação com bucha ou sabonetes com grãos abrasivos”, sugere Ligia.

Virada da Pele Saudável oferece consultas e procedimentos gratuitos em SP

Virada da Pele Saudável oferece consultas e procedimentos gratuitos em SP

Evento ocorre durante 36 horas ininterruptas e alerta sobre a importância de ir ao dermatologista mesmo sem problemas aparentes

Acnes são o principal motivo de visita ao dermatologista.
Acnes são o principal motivo de visita ao dermatologista. Foto: Kjerstin_Michaela/Pixabay

Cuidar da pele, mesmo que apenas por questão estética, implica em cuidar da saúde como um todo. De um lado, a preocupação com a aparência relaciona-se com a autoestima e o emocional da pessoa; de outro, existe a prevenção a doenças e manutenção da integridade deste órgão. Entre suas funções, está a de proteger todos os órgãos do corpo, uma vez que atua como uma barreira contra a entrada de corpos estranhos no organismo.

LEIA TAMBÉM:
Coreanas têm dez passos para cuidar da pele; saiba quais são
O que é ‘essence’ e por que ela é mais importante do que hidratante?
Dermatologista esclarece dúvidas sobre uso de protetor solar
Para reforçar a importância desse cuidado constante e facilitar o acesso a um médico especialista, as Faculdades BWS e a Associação Pele Saudável realizam, a partir desta terça-feira, 18, a sexta edição da Virada da Pele Saudável. O evento ocorre durante 36 horas ininterruptas e oferece consultas e procedimentos dermatológicos gratuitos.

Leia também: Dicas pele saudável

“O acesso da população ao (médico) generalista é mais fácil, mas para ser encaminhado ao especialista tem de ter demanda específica. É preciso passar com o dermatologista não só para tratamento em caso de patologia, mas também para ter orientação de como manter a saúde da pele, independentemente de ter lesão”, orienta Seomara Passos Catalano, dermatologista e coordenadora da Virada e do curso de pós-graduação em dermatologia das Faculdades BWS.

Seomara explica que a pele é o maior órgão do corpo e, por ser completamente exposto, sofre com a ação da temperatura, do tempo, da idade e das mudanças hormonais. No caso das mulheres, o hormônio feminino retém a hidratação, mas, conforme envelhecem, a quantidade desse hormônio diminui. Por isso, é necessário intensificar os cuidados com o tratamento adequado.

GALERIA: Conheça mitos e verdades sobre a exposição solar

Pixabay Ver Galeria 6
6 imagens
Prevenção
Problemas que, sem dúvida, merecem uma visita ao dermatologista são alergias e inflamações na pele. As doenças mais vistas nos consultórios, segundo Seomara, são tumores, desde o não melanoma (que tem evolução mais leve, porém se não cuidar pode levar à morte) até o melanoma, que é mais grave e tem maior taxa de morbidade.

A especialista afirma que, mesmo cuidando da pele corretamente, é importante ir ao dermatologista com periodicidade. “Existem doenças que são visíveis, mas outras precisam de busca ativa do profissional, que pode flagrar algo que está no início ou menor”, diz Seomara. Exemplo disso é a psoríase, uma doença autoimune com caráter genético que, muitas vezes, só é devidamente diagnosticada tardiamente.

Outras doenças, embora não sejam propriamente dermatológicas, têm manifestação na pele e um especialista pode, facilmente, detectá-las. “Quem tem insuficiência renal tem cor da pele diferente e existem cores para determinados medicamentos que o paciente toma”, afirma Seomara. Ela ressalta que cabelo e unhas são anexos da pele, sendo que qualquer alteração neles pode ser avaliada por um dermatologista. “É melhor prevenir com cuidados simples do que tratar com o caso já avançado”, reforça a coordenadora da Virada.

Atendimento resolutivo
Seomara explica que a Virada da Pele Saudável tem caráter resolutivo, ou seja, a pessoa vai sair do local com o caso solucionado ou, pelo menos, direcionado para isso. O evento, que ocorre em uma das unidades das Faculdades BWS, na Bela Vista, conta com laboratório para realizar biópsia ou pequenas cirurgias se for o caso, como retirada de tumores. Posteriormente, o paciente volta para pegar o resultado do exame e continuar com o tratamento.

A dermatologista faz uma ressalva para idosos que tomam muitos remédios, inclusive anticoagulante, pois é preciso suspender a medicação antes de realizar o procedimento. “A gente pede tudo o que é necessário e a pessoa sai com a cirurgia agendada”, diz. “A única exceção de cirurgia é o porte. Se o tumor é grande e precisa de internação, tem de ser no centro cirúrgico. A pessoa faz a biópsia, recebe diagnóstico e é encaminhada para o serviço público”, completa. Todos os procedimentos são gratuitos.

No ano passado, a Virada da Pele Saudável realizou 4.811 consultas dermatológicas e 893 procedimentos cirúrgicos durante as 36 horas de evento. A iniciativa beneficia também os estudantes da instituição, que participam dos atendimentos e aprendem a reconhecer e diagnosticar as diversas doenças de pele.

Problemas de pele

Problemas de pele

FIQUE A SABER TUDO SOBRE OS MAIS COMUNS PROBLEMAS DE PELE. COMO TRATAR, QUAIS OS SINTOMAS, COMO PREVENIR? TODAS AS INFORMAÇÕES PARA QUE A SUA PELE NUNCA SOFRA.

Dermatite Atópica

O que é?
A dermatite atópica, mais conhecida pelo termo eczema, é uma doença crónica da pele, que com frequência se associa a outras doenças alérgicas, nomeadamente a asma brônquica e a rinite, aparecendo habitualmente antes das manifestações respiratórias. Atinge preferencialmente os grupos etários pediátricos e em 80% dos casos manifesta-se durante o primeiro ano de vida.

O que é?
Qual é a frequência da dermatite?
Em Portugal, estima-se que cerca de 10% das crianças são atingidas pela doença, sendo neste grupo etário a doença dermatológica crónica mais frequente, embora apenas 1 a 2% sofram de queixas graves. Na maior parte das situações a doença tende a melhorar muito e até a desaparecer com a idade, embora possa permanecer por toda a vida; a persistência desta entidade é mais observada nos casos onde o aparecimento é mais tardio.

qual é a frequencia da dermatite

Como se manifesta a dermatite atópica?
O diagnóstico baseia-se na presença de prurido (“comichão”), associado a sinais cutâneos como rubor, exsudação, secura e descamação da pele e, em situações mais arrastadas, podem existir cicatrizes provocadas pela coceira persistente. A localização destas lesões varia consoante o grupo etário: as crianças mais pequenas apresentam atingimento preferencial da cabeça, por vezes apenas atrás das orelhas, e das superfícies extensoras dos membros, enquanto as crianças mais velhas e os adultos tendem a manifestar a doença nas superfícies de flexão (atrás dos joelhos e na frente dos cotovelos); os adolescentes são também frequentemente atingidos nas pálpebras e na região peri-labial.
A confusão com outras entidades condicionantes de intenso prurido deve ser devidamente avaliada, não só com o objetivo de se excluírem mas também pela probabilidade de ocorrência simultânea, particularmente de infeções. A avaliação clínica efetuada permite afastar estas situações, bem como permite caracterizar as complicações.

como se manifesta a dermatite atópica
Como se diagnostica?
Os exames complementares de diagnóstico passam pela realização de testes cutâneos, caso exista pele íntegra e, pelos doseamentos sanguíneos de anticorpos, nomeadamente para alergenos do ambiente e alergenos alimentares, permitindo caracterizar alguns dos fatores de agravamento.

Como se diagnostica
Qual é o tratamento da dermatite atópica?
No tratamento da dermatite atópica devem ser consideradas medidas gerais:

só utilizar vestuário de algodão, para evitar suar (o suor aumenta o prurido)
lavar as roupas novas antes da primeira utilização (prevenir reacções irritativas)
evitar grandes exposições a ambiente com pó (efeito de secura e irritação).
Perante uma situação na qual se tenha identificado alimentos capazes de originar o aparecimento ou o agravamento das lesões cutâneas, esses devem ser evitados; no entanto, cuidado com as dietas generalizadas mal orientadas, pelos riscos nutricionais e custos associado. Também deve ser evitado o contacto com os alergenos do ambiente aos quais esteja sensibilizado (exemplos: ácaros do pó doméstico, animais de companhia).

Muito importante é proceder à hidratação da pele, utilizando para tal um emoliente (hidratante), o qual deve ser aplicado imediatamente após o banho (água morna) com o objetivo de evitar a evaporação da água retida na pele durante o mesmo. Devem então ser preferidos os emolientes em cuja composição haja predominância de ácidos gordos (ómegas) e não água, a qual, à semelhança das múltiplas lavagens, pode mesmo condicionar secura da pele e agravamento da doença.

Leia também: Problemas de pele como tratar

Grande parte das situações responderá a este tipo de medidas; se apesar delas se mantiver o prurido (ainda que sem lesões), ele deve ser controlado, para evitar a coceira, ela própria condicionante de agravamento da doença e, consequentemente, de mais prurido. Este ciclo pode, então, ser minimizado através da hidratação cutânea, mantendo sempre as unhas bem cortadas e, recorrendo a anti-histamínicos orais, os quais podem também ser utilizados diariamente, por longos períodos, com o objetivo de estabilizar a doença. Nas formas mais graves ou se surgem agudizações devem ser utilizados corticosteróides sob a forma de creme ou pomada (utilizando os de menor potência possível; na face preferencialmente a hidrocortisona a 1%); se a intensidade e a extensão o justificar podem ser administrados corticosteróides orais por períodos muito curtos.

Note: Como os corticosteróides em comprimidos e em cápsulas podem provocar graves efeitos colaterais, os médicos só os usam como último recurso para os indivíduos de tratamento difícil. Estes fármacos orais podem travar o crescimento, enfraquecer os ossos, inibir a função das glândulas supra-renais e causar muitos outros problemas, especialmente nas crianças. Além disso, os seus efeitos benéficos são apenas temporários.
Em alguns casos, a terapêutica anti-infeciosa pode ser necessária. Em condições particulares, o especialista poderá propor a utilização de outros tratamentos.

Dermatite seborreica
Dermatite seborreica

O que é?
A dermatite seborreica é uma inflamação das camadas superficiais da pele que provoca escamas no couro cabeludo, na cara e, ocasionalmente, noutras zonas.
A dermatite seborreica afeta habitualmente vários membros da mesma família e o clima frio costuma piorá-la.

O que é?
Quais os sintomas?
A dermatite seborreica costuma aparecer gradualmente, provocando uma escamação seca ou gordurosa no couro cabeludo (caspa), por vezes com comichão, mas sem perda de cabelo. Nos casos mais graves aparecem pápulas amareladas ou avermelhadas ao longo do risco do penteado, por trás das orelhas, no canal auditivo, sobre as sobrancelhas, na cana do nariz, à volta do nariz e no peito. Nos bebés com menos de um mês, a dermatite seborreica pode provocar uma lesão com crosta, amarela e espessa (gorro do lactente) e, por vezes, uma escamação amarela por trás das orelhas, além de pápulas vermelhas na face. Frequentemente, com a erupção do couro cabeludo aparece também outra, muito persistente, na zona da fralda. As crianças mais crescidas podem desenvolver na pele lesões espessas, persistentes e com grandes escamas.

Quais os sintomas?
Tratamento
Nos adultos, o couro cabeludo pode ser tratado com champôs que contenham zinco, sulfureto de selénio, ácido salicílico, sulfureto ou alcatrão. A pessoa usa em regra estes champôs diariamente até controlar a caspa e, depois, duas vezes por semana. Geralmente, o tratamento deve continuar durante vários meses. Se a dermatite reaparecer depois de se suspender o tratamento, pode começar-se de novo.

InneovDucrayIsdinDercos

As loções que contêm corticosteróides também se usam na cabeça e noutras áreas afetadas. Na cara só se deverão usar loções com corticosteróides não muito potentes, como a hidrocortisona a 1 %. Até os corticosteróides fracos devem ser utilizados com precaução, sob orientação médica ou farmacêutica, porque o uso prolongado pode reduzir a espessura da pele e provocar outros problemas. Se a terapia com corticosteróides não eliminar as lesões, em alguns casos usa-se um creme com quetoconazol.

Nos lactentes e nas crianças pequenas que apresentam uma crosta espessa no couro cabeludo – consulte artigo sobre crosta látea.

Dermatite de contacto

Dermatite de contacto
O que é?
A dermatite de contacto é uma inflamação causada pelo contacto com uma determinada substância.

A erupção fica confinada a uma área específica e costuma ser bem delimitada.
As substâncias que provocam dermatites de contacto podem causar a inflamação da pele por um de dois mecanismos: irritação (dermatite irritativa) ou reação alérgica (dermatite alérgica). Até os sabões suaves, os detergentes e certos metais podem irritar a pele depois de um contacto frequente. Por vezes, uma exposição repetida, inclusivamente à água, pode secar e irritar a pele. Os irritantes fortes, como os ácidos, os álcalis (como os tira-nódoas) e alguns solventes orgânicos (como a acetona, utilizada para remover o verniz das unhas) podem provocar alterações na pele em questão de minutos.
Numa reação alérgica, a primeira exposição a uma determinada substância (ou, por vezes, as primeiras exposições) não provoca nenhum sintoma, mas a exposição seguinte pode provocar ardor e dermatite no espaço de 4 a 24 horas. As pessoas podem usar (ou ser expostas a) determinadas substâncias durante anos sem problemas e, de repente, desenvolver uma reação alérgica. Mesmo os unguentos, os cremes e as loções usadas para tratar a dermatite podem provocar essa reação. Cerca de 10 % das mulheres são alérgicas ao níquel, a causa mais frequente de dermatite provocada por jóias. Também é possível desenvolver dermatite a partir de qualquer material em que uma pessoa toque enquanto trabalha (dermatite ocupacional).
Uma dermatite que ocorre quando se toca em determinadas substâncias e em seguida se expõe a pele à luz solar denomina-se dermatite de contacto fotoalérgica ou fototóxica. Entre estas substâncias encontram-se os filtros solares, as loções para depois de barbear, certos perfumes, antibióticos, alcatrão (coltar) e óleos.

O que é?

Quais os sintomas?
Os efeitos da dermatite de contacto variam entre uma vermelhidão, ligeira e passageira, e uma inflamação grave com formação de bolhas. A erupção consiste frequentemente em bolhas diminutas que provocam comichão intensa (vesículas). Ao princípio as lesões limitam-se à zona de contacto, mas posteriormente podem espalhar-se. A zona afectada pode ser muito reduzida (por exemplo, os lóbulos das orelhas, se os brincos provocarem dermatite) ou então pode abranger uma grande superfície do corpo (por exemplo, se a dermatite for provocada por uma loção para o corpo).
Quando se suprime a substância que provoca a erupção, a vermelhidão costuma desaparecer em poucos dias. As bolhas podem exsudar e formar crostas, mas secam rapidamente. A escamação residual, a comichão e o espessamento temporário da pele podem durar dias ou semanas.

Quais os sintomas

Diagnóstico
Nem sempre é fácil determinar a causa da dermatite de contacto porque as possibilidades são infinitas. Além disso, a maioria das pessoas não tem consciência de todas as substâncias que tocam na sua pele. A localização da erupção inicial é, frequentemente, um factor importante.
Se o médico suspeita de dermatite de contacto mas não descobre a causa através de um cuidadoso processo de eliminação, pode fazer a prova do adesivo. Para este teste, colocam-se sobre a pele durante dois dias pequenos emplastros adesivos com substâncias que costumam causar dermatite, para comprovar se se verifica erupção debaixo de algum deles.
Apesar de ser muito útil, esta prova do adesivo é complicada. O médico deve decidir que substância testar, que quantidade aplicar de cada substância e quando se deverão fazer os testes. Além disso, os resultados da prova podem ser difíceis de interpretar. Os testes podem ser falsamente positivos ou negativos. A maioria das pessoas pode descobrir a origem da sua dermatite sem esta prova do adesivo, eliminando sistematicamente as causas possíveis. De qualquer forma, trata-se de uma prova que pode contribuir com dados importantes para identificar a causa.

Diagnostico
Tratamento
O tratamento consiste em eliminar ou evitar o que esteja a causar a dermatite de contacto. Para prevenir a infeção e evitar a irritação, a pessoa afetada deverá limpar a área regularmente com água e sabão suave. As bolhas não deverão ser rebentadas. As ligaduras secas também podem ajudar a evitar uma infeção.
Os cremes ou unguentos com corticosteróides costumam aliviar os sintomas da dermatite de contacto leve, a menos que a pessoa apresente muitas bolhas, como no caso da reação à sumagre (poison ivy). Os comprimidos com corticosteróides (como a prednisona) por vezes administram-se em casos de dermatite de contacto. Embora em algumas situações os anti-histamínicos aliviem a comichão, não são particularmente benéficos na maioria dos casos de dermatite de contacto.
No caso de o alergeno causal estar identificado e ser um objeto com o qual a pessoa contacte numa pequena área de pele, para prevenir a dermatite de contacto a quando novo contacto, podem-se usar os chamados cremes barreira ou filmes que isolam a pele. A Sweetcare dispõe de várias alternativas.

FLACIDEZ FACIAL E CORPORAL: MELHORES PRODUTOS,

FLACIDEZ FACIAL E CORPORAL: MELHORES PRODUTOS

TRATAMENTOS E COMO ACABAR COM A FALTA DE FIRMEZA NA PELE
Saiba tudo sobre a flacidez do rosto e corpo e descubra como prevenir os sintomas / Foto: Roberto Nickson, Unsplash.com
Saiba tudo sobre a flacidez do rosto e corpo e descubra como prevenir os sintomas / Foto: Roberto Nickson, Unsplash.com

Saiba mais
A flacidez do rosto ou do corpo é uma característica que atinge várias pessoas – entre homens e mulheres – e, muitas vezes, acaba se tornando um grande problema estético. A pele pode perder o tônus em várias circunstâncias, especialmente, em casos de perda muito intensa de peso, após a gravidez ou devido ao processo de envelhecimento. Mas como podemos acabar com essa falta de firmeza corporal e facial? Existem produtos capazes de prevenir e tratar a flacidez da pele? É mesmo necessário fazer exercício físico? O DermaClub fez um apanhado para esclarecer essas e outras dúvidas sobre o tema. Confira!

1. O que é flacidez?
A flacidez, normalmente é um processo natural da pele, que se dá com o envelhecimento e a perda das fibras de colágeno – proteína responsável pela sustentação da pele. Elas são degradadas a uma velocidade maior do que conseguem ser produzidas e a partir dos 25 anos, já é possível notar a queda da produção, não só em relação à quantidade, mas também à qualidade. O resultado desse somatório é uma pele mais flácida e com estrutura bastante comprometida.

Leia também: Flacidez tratamentos

Já conhece o clube de vantagens DermaClub? Com ele, você terá muito mais motivos para cuidar da sua pele. Acesse o link, cadastre-se no programa e aproveite os benefícios!

1.1. A quem a flacidez atinge?
No geral, uma rotina desregrada de saúde e cuidados com o corpo podem levar à flacidez. Por uma questão hormonal, mulheres são mais propensas à perda de firmeza dos tecidos. Mulheres após a menopausa, idosos de ambos os sexos que sofrem substituição de parte dos músculos por gordura, pessoas que perdem grande quantidade de peso de forma rápida e indivíduos de pele mais clara, que se expõem muito a raios solares, desenvolvem a flacidez.

1.2. O que a flacidez pode causar?
– Celulite;

– Rugas;

– Ressecamento da pele.

1.3 Causas da flacidez:
Algumas coisas que podem deixar a pele flácida são:

– Perda de colágeno;

– Processo de envelhecimento;

– Usar roupas apertadas;

– A falta de hidratação da pele;

– O consumo incorreto de água;

– Abusar do sal na comida;

– Exagerar nos doces;

– Alimentação rica em gordura;

– Ausência de atividades físicas;

– Etc.

2. Cuidados que ajudam a recuperar a firmeza da pele
Para recuperar a firmeza da pele e acabar de vez com a flacidez, vale adotar alguns hábitos. Confira:

2. 1. Técnicas de massagem
Massagear os músculos da face e do corpo ajuda a pele a ficar mais firme e forte.

2. 2. Alimentação saudável
É fundamental para dar um equilíbrio na saúde da sua pele. Alimentos com antioxidantes, como vitamina C e E, leite, cereais e peixes ajudam a nutrir a pele e manter a firmeza.

2. 3. Filtro solar
Exposição solar em excesso coopera para que o tecido da pele perca força, causando o aparecimento de manchas, envelhecimento precoce e, ainda, pode ocasionar câncer de pele. Por isso, use o filtro para evitar os danos negativos e rugas.

2. 4. Utilize produtos especializados
Escolher dermocosméticos adequados também ajuda no combate à flacidez da pele, porém, antes de comprar qualquer produto, o ideal é consultar o seu dermatologista. Para isso, são indicados cremes rejuvenescedores e produtos que favoreçam a produção de substâncias naturais da pele, como colágeno e elastina.

2. 5. Pratique atividade física regular
Ao praticar atividades físicas, você fortalece os seus músculos e também o tônus dos mesmos. Desta forma, a pele também fica menos flácida e mais lisa. Escolha um exercício que se identifique com você, seja ele ao ar livre, dentro de uma academia ou até em uma escola de dança.

3. Alimentos que ajudam a combater a flacidez
3. 1. Frutas vermelhas (amora, morango, cereja e framboesa)
São ricas em antioxidantes, que agem contra os radicais livres – átomos que se unem às células boas e anulam suas funções.

3. 2. Alimentos alaranjados
É possível obter a vitamina A, que contribui para a produção das fibras de colágeno, por meio da abóbora, cenoura e manga.

3. 3. Frutas cítricas
São ricas em vitamina C e também colaboram para a formação de colágeno.

3. 4. Aveia
Além de regular o intestino, o que ajuda na aparência da pele, o cereal é fonte de silício, que é indispensável na produção de colágeno.

4. O que não comer para prevenir a flacidez?
Existem alimentos que estimulam ou agravam a flacidez no corpo. Por isso, evite comidas muito doces, refrigerantes, frituras, embutidos e alimentos ricos em sódio. Não se esqueça de procurar o seu nutricionista para indicações mais especializadas.

5. Como tratar a flacidez?
Existe uma variedade de artifícios para minimizar a flacidez na pele:

– Uso de dermocosméticos com ácido hialurônico e outros ativos hidratantes, como a vitamina B5 e o Pro-Xylane;

– Radiofrequência;

– Laser;

– Preenchimento com ácido hialurônico;

– Aplicação de toxina botulínica;

– Peelings;

– Alimentação saudável;

– Atividades físicas.

6. Ativos que ajudam no tratamento da flacidez
– Ácido hialurônico;

– Manteiga de karité;

– Vitamina B5;

– Vitamina B3;

– Pro-Xylane;

– HEPES.

7. Mitos e verdades sobre a flacidez
7. 1. Exercícios físicos ajudam acabar com a flacidez.
Verdade. Fazer exercício físico é fundamental para combater a flacidez, já que as atividades de força, resistência e alongamento ajudam a manter o corpo com tônus em dia. Ao estimular os músculos e diminuir o tecido adiposo, os exercícios revelam áreas mais tonificados e amenizam, ao mesmo tempo, a flacidez.

7. 2. A alimentação não tem nada a ver com a pele flácida
Mito. Uma alimentação equilibrada é fundamental para a prevenção e combate à flacidez. Nesse sentido, é interessante investir em substâncias antioxidantes e ricas em nutrientes essenciais, que contribuem para a sustentação e a elasticidade da pele.

7. 3. É normal a flacidez ocorrer após a gravidez
Verdade. A flacidez é muito ressaltada pelas mulheres após o parto, devido ao estiramento demasiado das fibras de colágeno e elastina durante a gestação. Depois que a paciente tem o bebê, tende a perder peso, e esse processo faz com que a pele fique frouxa e flácida.

 

Entenda tudo sobre máscaras faciais e veja por que as famosas as amam

Entenda tudo sobre máscaras faciais e veja por que as famosas as amam

Feitas em casa ou compradas em farmácias e perfumarias, elas podem deixar a sua pele incrível. Fique de olho nos benefícios!
Por Da Redação access_time 31 maio 2018, 13h00 chat_bubble_outline more_horiz

Vira e mexe a gente vê no Instagram alguma celeb com o rosto todo melecado de máscara facial. E tanto sucesso tem uma razão: ela realmente funciona. Por isso, a CH preparou uma seleção de dicas para usar o produto. É só anotar tudo e se preparar para bancar a Maisa, a Vanessa Hudgens, a Bella Hadid… e fazer selfies bem diferentes hahaha.

maisa-mascara-facial Maisa Silva sempre testa máscaras nas redes sociais
Maisa Silva sempre testa máscaras nas redes sociais (Reprodução/Instagram)

Por que elas são boas para a pele?
As máscaras faciais possuem uma concentração maior de ativos do que outras opções de cosméticos. Além disso, durante a aplicação, passamos uma camada maior de produto na pele, o que faz com que ele penetre com maior facilidade pelos poros.

Leia também:Máscara de pepino

Para o que ela serve?
Existem muitas máscaras com diferentes funções: para hidratar, para retirar o óleo, para acalmar… A dica é investir naquela que tem mais a ver com a sua necessidade. Para a pele seca, procure um produto com ácido hialurônico, mel e óleos naturais. Para controlar a oleosidade, o ideal são opções que contenham ácido salicílico e argila verde ou branca. Já para tratar a acne, aposte em extratos naturais, como aloe vera, própolis e argila também.

bella-hadid-mascara-facial Bella Hadid e uma amiga no ~momento spa~
Bella Hadid e uma amiga no ~momento spa~ (Reprodução/Instagram)

Como usar
Antes de aplicar, lave bem o rosto para retirar as impurezas e faça uma leve esfoliação para que o produto penetre melhor na pele. Permaneça com a máscara de 10 a 15 minutos (este tempo depende das instruções da embalagem). Depois, enxágue para retirar o produto.

A periodicidade ideal
O mais indicado é usar a máscara de 15 em 15 dias. Se a pele estiver muuuito ressecada, dá para aplicá-la uma vez por semana. Importante : ela não substitui os produtos de cuidados diários. Por isso, mantenha sua rotina normalmente.

vanessa-hudgens-mascara-facial Vanessa Hudgens também é fã do produto!
Vanessa Hudgens também é fã do produto! (Reprodução/Instagram)

Veja também
habitos-fazem-bem-pele
BELEZA
8 hábitos que fazem bem para a sua pele
query_builder26 maio 2018 – 12h05
lili-reinhart-reclama-photoshop-corpo-H
BELEZA
Lili Reinhart sobre acne: “Não sei se conseguirei aceitar minha pele”
query_builder22 maio 2018 – 17h05
garota espelho
BELEZA
5 truques de beleza noturnos que fazem muito bem para sua pele
query_builder21 abr 2018 – 16h04

Caseiras X Industrializadas
Tanto as máscaras feitas em casa quanto as que compramos em perfumarias trazem benefícios para a pele. Vai optar por uma caseira? Então, fique de olho nos ingredientes. Produtos ácidos devem ficar longe das misturas, pois podem causar danos ao rosto (por exemplo, manchar a pele). Além disso, pesquise bastante para encontrar os ativos certos e chegar no resultado esperado.

multimask-mascara-facial A hasgtag #multimask virou mania de beleza da internet
A hasgtag #multimask virou mania de beleza da internet (Reprodução/Instagram)

Multimask
Que tal usar várias máscaras faciais ao mesmo tempo? A ideia é aplicar em cada parte do rosto um produto com a função específica para ela. Apesar de dar mais trabalho, o multimask funciona. O segredo é nunca misturar vários produtos e passá-los ao mesmo tempo, pois um pode neutralizar o efeito do outro.

Como tirar olheiras? Conheça 7 receitas caseiras milagrosas

Como tirar olheiras? Conheça 7 receitas caseiras milagrosas

Leite, mamão, morango e pepino podem ser seus melhores amigos na hora de combater os inchaços escurecidos da área dos olhos; veja como usá-los

Tags: #cansaço #cansaço prolongado #Como fazer #cuidado #Cuidados #Olhos #pele #sono #Tabagismo #tratamento #tratamento a laser
697
Por maior que seja o número de horas dormidas diariamente, é impossível nunca ter acordado com bolsas circulares escuras abaixo dos olhos. Baixa qualidade de sono, cansaço ou choro em excesso não são os únicos fatores que influenciam no seu surgimento, o que só aumenta nossa curiosidade em descobrir como tirar olheiras.

Fatores genéticos, hormonais, alergias, tabagismo, problemas circulatórios e estresse são alguns dos outros causadores desse problema. Pessoas mais velhas e com a pele muito fina tendem a ter a área dos olhos ainda mais escurecidas, devido às veias e aos vasos da região que ficam em maior evidência.

Por isso, entender quais são os processos que levam à formação das olheiras é essencial para quem já não aguenta mais conviver com esse desconforto clínico e estético. Como fazer isso? Ficando ligado nas dicas que a Catraca Livre Estilo tem para você!

Leia também: Tratamento para olheira

Crédito: Getty Images/iStockphoto
Práticas cotidianas e métodos naturais te ajudam a diminuir as olheiras
Conhecidas também como melanose periorbital ou hiperpigmentação periorbital, as olheiras são classificadas em dois tipos: a vascular, quando os vasos sanguíneos ficam visíveis com a cor azulada, e a pigmentar, relacionada ao acúmulo de melanina que gera manchas marrons.

Preocupadas em dar fim a esse incômodo, pessoas que vivem com olheiras normalmente recorrem à tratamentos estéticos, principalmente à laser ou à base cremes e maquiagens, mas que demandam dinheiro e nem sempre têm resultados efetivos.

5 receitas de peeling caseiro para você arrasar com uma pele renovada
A boa notícia é que alguns cuidados diários podem ajudar a reduzir consideravelmente esse problema.

Como a pele da área dos olhos é bem mais fina e sensível que do restante do corpo, é necessário o uso frequente de protetores solares, visto que os raios do Sol tendem a afinar ainda mais a derme, além de estimular a melanina, o que só contribui com o escurecimento e inchaço da região.

Crédito: Getty Images/iStockphoto
Esfregar a região dos olhos intensamente é um péssimo hábito para quem sofre com olheiras
Outro “amigo” das olheiras é o sal, que, por ser rico em sódio, favorece a retenção de líquido e os inchaços, assim como a ingestão excessiva de bebidas alcoólicas.

Esfregar demais os olhos também é algo a ser evitado, assim como não limpar o rosto adequadamente na hora de tirar a maquiagem. A primeira prática irrita muito a pele e afeta a circulação da área, enquanto a segunda leva à perda de hidratação, pois obstrui os poros e impede a circulação de oxigênio, assim como favorece à acne.

Além desses cuidados rotineiros, algumas receitas com ingredientes comuns são ótimas para quem sonha em aprender como tirar olheiras de maneira natural, sem gastar uma fortuna ou se render à tratamentos estéticos agressivos.

Pensando nisso, a Catraca Livre Estilo listou 7 métodos caseiros de combate aos escurecimentos e inchaços da região dos olhos. Olha só:

Água fria | Gelo
Diferentemente do que se imagina, a água fria é muito mais saudável para os olhos do que a quente, pois ajuda os vasos sanguíneos a se contraírem e, assim, a diminuir inchaços.

Por isso, quando for lavar o rosto, tente sempre usar água fria ou gelada.

Para fazer compressas na área dos olhos, você pode enrolar uma pedrinha de gelo em um pano ou ainda molhar o tecido e colocá-lo no freezer, para depois manter em repouso por 15 minutos na região.

Massagem
Mesmo que esfregar os olhos não seja permitido a quem queira tirar olheiras, fazer massagens ao redor deles é uma tarefa a ser incluída na rotina de cuidados do rosto.

Comece a massagear a região com o dedo anelar, deslizando e pressionando a área suavemente, indo do canto interno da pálpebra superior para o externo.

Em seguida, faça o mesmo movimento na parte inferior e finalize dando batidinhas com as pontas dos dedos indicador e médio. Por último, feche os olhos e, fazendo um pequeno círculo com o dedo anelar, pressione o canal lacrimal por alguns segundos.

Para conhecer uma técnica mais aprofundada, confira o tutorial completo da esteticista Patrícia Elias:

Chá de camomila ou chá verde
Com propriedades anti-inflamatórias e antioxidantes, tanto a camomila quanto o chá verde devem ser seus melhores amigos na hora de amenizar olheiras.

Para isso, prepare dois saquinhos de chá para uma xícara de água, para que o líquido fique concentrado. Depois de pronto, coloque-o na geladeira e, quando estiver bem gelado, aplique nas áreas escuras e inchadas dos olhos por 20 minutos, mergulhando um pedaço de algodão ou gaze no recipiente.

Já os saquinhos utilizados para o preparo do chá devem ser levados ao freezer, até ficarem congelados. Em seguida, repouse-os sobre os olhos por 10 minutos, com a cabeça elevada para estimular os vasos a voltarem ao tamanho natural.

Leite e mamão
Por ser rico em ácido lático, o leite é um poderoso clareador, que, aliado ao mamão, ajuda a hidratar e renovar a camada mais superficial da pele.

Para a compressa, bata meio mamão papaia com 100ml de leite até formar uma pasta consiste. Deixe a mistura na geladeira até ficar fria e aplique nas olheiras, deixando agir por 20 minutos.

Pepino
Que atire a primeira pedra quem nunca viu no cinema ou na televisão alguém utilizando pepino no rosto em tratamentos de beleza. Isso porque o alimento é diurético e ajuda na diminuição de inchaços e na regeneração celular.

Corte duas fatias de pepino e deixe-as na geladeira até esfriarem bem. Depois, repouse as rodelas sobre os olhos por 30 minutos.

Se preferir, bata meio pepino com quatro colheres de sopa de chá verde concentrado (como na receita ensinada acima) e aplique a mistura gelada diretamente na pele.

Crédito: Getty Images
Assim como outros alimentos, o pepino é diurético e ajuda na regeneração celular, e na diminuição de inchaços
Morango
Com poder anti-inflamatório, o morango deve ser aplicado na pele em forma de purê. Usando a polpa da fruta bem batida, coloque-a na região dos olhos por 30 minutos para ajudar a clarear e desinchar a área.

Hortelã
Para acabar com os sinais de uma noite ruim de sono, você pode esmagar de 5 a 7 folhas de hortelã e misturá-las em uma colher de sopa de mel.

Deixe a pasta com as folhas agindo por 15 minutos sobre a região dos olhos e, depois, enxágue com água em abundância.

ANÁLISE DA BIOTINA EM AMOSTRAS DE VITAMINAS COMERCIAIS

ANÁLISE DA BIOTINA EM AMOSTRAS DE VITAMINAS COMERCIAIS

A biotina, também conhecida como vitamina H, é uma vitamina importante aos organismos vivos, necessária no metabolismo das proteínas e dos carboidratos, ela age diretamente na formação da pele. É uma vitamina hidrossolúvel. As principais fontes alimentares de biotina são frutas, nozes, ovos, carnes, leite e levedura. A carência de biotina no homem apesar de rara pode causar dermatite esfoliativa, conjuntivite, descoloração da pele e mucosas, furunculose, seborreia do couro cabeludo e dores musculares. O presente trabalho se propõe a analisar qualitativamente, por espectroscopia no infravermelho, amostras de vitaminas comerciais e manipulada que contenham a biotina. Nas amostras avaliadas foram verificadas que a espectroscopia no infravermelho é viável mesmo para amostras com uma concentração pequena de biotina.

Leia também: Biotina funciona

A Revista UniVap é uma publicação eletrônica (a partir da edição nº 29 passa a ser on-line) editada pela Universidade do Vale do Paraíba (UNIVAP), que tem o intuito de promover a divulgação de pesquisas e estudos, cumprindo a tríplice missão da universidade, de proporcionar ensino, pesquisa e extensão de modo indissociável. Esta publicação incentiva as pesquisas e procura o envolvimento de seus professores e alunos em pesquisas e cogitações de interesse social, educacional, científico ou tecnológico. Aceita artigos originais, não publicados anteriormente, de seus docentes, discentes, bem como de autores da comunidade científica nacional e internacional. Publica artigos, notas científicas, relatos de pesquisa, estudos teóricos, relatos de experiência profissional, resenhas e revisão de literatura nas diversas áreas do conhecimento científico, sempre a critério de sua Comissão Editorial e de acordo com o formato dos artigos publicados.

Recomenda-se que atendam aos requisitos:

– domínio sobre o tema abordado; base para o avanço do conhecimento na área de foco; finalidade de explicar com clareza o tema; respeitar aspectos básicos de construção: relevância e interesse; servir de base para descobrir lacunas e resolvê-las em modelo conceitual propondo encaminhamento de hipóteses ou proposições; focar na teoria e não somente em resultados; incluir nova pesquisa de referências mais recentes; não citar somente o que outros trabalhos fizeram anteriormente.

Itens dessa sessão não receberão DOI e não serão incluídos para indexação da revista.

Para que serve e quando usar Colágeno

Para que serve e quando usar Colágeno

O colágeno é uma proteína que dá estrutura, firmeza e elasticidade à pele, que é produzida naturalmente pelo corpo, mas que também pode ser encontrada em alimentos como carne e gelatina, em cremes hidratantes ou suplementos alimentares em cápsulas ou pó.

Quando devo usar Colágeno
Os suplementos de colágeno devem ser usados quando a concentração desta proteína diminui no corpo, causando sintomas como:

Diminuição da espessura dos fios de cabelo;
Aumento da flacidez e perda de elasticidade da pele;
Surgimento de rugas e de linhas de expressão;
Aparecimento de estrias;
Pele fina e desidratada;
Diminuição da densidade dos ossos como nos casos de osteopenia e osteoporose por exemplo;
Enfraquecimento das articulações e dos ligamentos.
Quando estes sintomas estão presentes, pode ser necessária a suplementação com suplementos de colágeno como BioSlim ou Collagen, que vão ajudar a balancear os níveis de colágeno no corpo.

Além disso, estes produtos ricos em colágeno podem ser especialmente importantes a partir dos 50 anos de idade, quando ocorre uma redução drástica na produção de colágeno, o que ao longo do tempo leva a uma aparência cada vez mais envelhecida. Porém, estes produtos apenas devem ser usados com acompanhamento do seu médico ou nutricionista, pois muitos suplementos de colágeno hidrolisado apresentam uma combinação de diferentes aminoácidos, vitaminas e minerais.

Leia também: Fascia

Principais Benefícios do Colágeno
Alguns dos principais benefícios do colágeno para o organismo são:

Previne o aparecimento de celulite;
Fortalece as unhas;
Fortalece o cabelo e melhora o seu aspecto;
Diminui o surgimento de estrias;
Aumenta a elasticidade da pele;
Previne e retarda o surgimento de rugas e linhas de expressão.
Além disso, uma vez que o colágeno dá firmeza à pele, além de prevenir o aparecimento da celulite, também atua no seu tratamento, pois com a pele mais firme os nódulos da celulite tendem a não aparecem tanto.

Leia também: Skin renov é bom

Como repôr o Colágeno

Para repôr o colágeno no organismo, pode-se fazer uma alimentação rica neste nutrientes, sendo por isso importante consumir alimentos ricos em colágeno como:

Carnes vermelhas;
Carnes brancas;
Gelatina;
Geleia de mocotó.
A melhor forma de combater o envelhecimento e manter a pele bem firme, é consumir diariamente estes alimentos ou suplementos alimentares de colágeno hidrolisado em cápsulas, pó ou comprimidos, que vão ajudar a repor os níveis de colágeno no corpo. Saiba mais sobre os alimentos ricos em colágeno e suplementos em Alimentos ricos em colágeno.

Porém, é preciso que tome sempre o colágeno junto com alimentos ricos em vitamina C como laranja, kiwi, ananás ou mamão, pois é esta vitamina a responsável por permitir a absorção do colágeno pelo organismo. Por isso, o recomendado é tomar as cápsulas de colágeno ou o pó junto com um suco de laranja ou kiwi por exemplo, para garantir que o colágeno é devidamente absorvido pelo organismo.

Suplementos de Colágeno

Os suplementos de colágeno podem ser tomados na forma de cápsulas, comprimidos ou pó, e alguns exemplos são:

BioSlim Colágeno, da Herbarium: Colágeno em pó que deve ser diluído em líquidos antes de tomar e custa cerca de 20 reais;
Collagen, da Performance Nutrition: Colágeno na forma de cápsulas e que custa em média 35 reais;
Colágeno hidrolisado, da Sanavita: suplemento de colágeno em pó com zinco, vitamina A, C e E e o seu preço varia entre os 30 e os 50 reais.
Estes suplementos, podem ser comprados em farmácias, lojas de produtos naturais, farmácias de manipulação ou lojas on-line por exemplo. Além disso, o tratamento com estes suplemento deve prolongar-se durante um mínimo de 9 meses, sendo recomendada uma dose máxima diária de 9 g de colágeno. Veja como deve ser feito o tratamento com colágeno hidrolisado em Como tomar Colágeno Hidrolisado.

Varizes Saiba o que fazer para prevenir

Varizes Saiba o que fazer para prevenir

Junto com a celulite e as estrias, as varizes também abalam a satisfação das mulheres com sua aparência e incomodam as mais vaidosas. Ninguém quer ter manchinhas, marquinhas e veias dilatadas pelas pernas. No entanto, a preocupação com as varizes deve ir além da vaidade. Se não forem tomados os cuidados necessários, elas podem evoluir para quadros graves, como hemorragias, trombose e úlcera nas pernas.

As varizes estão relacionadas a uma alteração funcional da circulação venosa do organismo ocasionada, principalmente, por oscilações hormonais da gravidez, menopausa e menstruação. Isso explica porque o problema é mais frequente em mulheres com idades entre 20 e 40 anos. Trabalhos que exigem do profissional muito tempo em pé, como vendedor e enfermeiro, ou em uma mesma posição, por exemplo, motorista, aumentam os riscos do desenvolvimento e agravamento das varizes.

Leia também: Varicell bula

Veja outros fatores que podem favorecer o aparecimento da varizes ou agravar as que já existem:

• Obesidade;
• tabagismo;
• sedentarismo;
• reposição hormonal e hormônios anticoncepcionais;
• história familiar;
• sexo (as mulheres são mais propensas, por causa dos hormônios femininos).

Aquele que, além de estar exposto a esses fatores de risco, possui predisposição genética para o problema, deve dar atenção especial às formas de prevenção.

Há alguns cuidados que podem ajudar a evitar o aparecimento das varizes, como:

• Se possível, procurar não permanecer muito tempo em pé ou em outra posição por um longo período. Movimentar as pernas ajuda a bombear o sangue nas veias;
• utilizar meias elásticas, principalmente se há algum fator que colabora para o agravamento da doença. Elas não eliminam as varizes, mas ajudam a evitar seu progresso;
• evitar ganho exagerado de peso;
• realizar exercícios físicos com supervisão de um profissional especializado.

Inchaço, veias tortuosas e salientes e sensação de peso e coceira nas pernas são alguns dos sintomas das varizes. A percepção de algum sinal pode indicar a necessidade de orientação médica, assim como qualquer tratamento.