Conheça 5 dicas que funcionam para tratar a impotência sexual |

Conheça 5 dicas que funcionam para tratar a impotência sexual |

–>A impotência sexual, cujo termo médico mais atual é disfunção erétil, é um problema que afeta muitos homens, principalmente após os 40 anos de idade, e infelizmente, ainda é um tabu para muita gente.

(foto: Divulgação)
(foto: Divulgação)
Continua depois da publicidade
A medicina define a disfunção erétil como uma dificuldade em iniciar e/ou manter a ereção (força) durante a relação sexual. Ou seja, é como se o homem estivesse perdendo a força durante a relação. Mas isso não significa que o homem realmente tem um problema ou uma doença. Calma. Qualquer homem pode ter um “dia ruim” e falhar durante a relação, principalmente se ele estiver com pouco desejo ou passando por algum momento de maior ansiedade ou estresse.

Saiba mais: Prime Male o que é

Agora, se o problema vem acontecendo com frequência, a confiança está diminuindo e você já está pensando em usar um “azulzinho”, atenção!

Aqui vão algumas dicas que podem te ajudar a entender melhor o que está acontecendo:

1) Você não é o único homem a passar por isso. Isso pode acontecer com qualquer homem, em qualquer idade. Existe uma quantidade muito grande de homens que sofrem do mesmo problema.

2) Não sofra em silêncio. Falar sobre o assunto, seja com sua parceira ou com o médico, vai te fazer muito bem! Isso vai ajudar a reduzir essa pressão e a ansiedade que você esta sentindo.

3) Encare o problema de frente. Essa é a melhor atitude que o homem pode apresentar. É o primeiro passo para superar a barreira e seguir em frente. Não deixe o problema se arrastar, crescer e virar uma “bola de neve”.

4) Respeite os seus limites. É importante entender que você já não é mais aquele garoto de 20 anos de idade com toda aquela disposição. À medida que vamos envelhecendo, nossa frequência sexual pode ir diminuindo enquanto a qualidade pode ir melhorando, pois já conhecemos os “atalhos”.

5) Consulte um médico. A Medicina está aí para ajudar! Fazer uma avaliação completa vai ser muito importante pra te tranquilizar. Muitas vezes o problema de ereção pode ser o primeiro sintoma de alguma doença (por exemplo; diabetes, hipertensão, colesterol alto, entre outras) e fazer um diagnóstico logo no início pode prevenir o agravamento do problema.

Por outro lado, a perda de força pode ser apenas uma desregulação do nosso organismo ou sinal de ansiedade e estresse.

Saber que você não tem nenhum problema grave ou irreversível também pode te ajudar a lidar de uma maneira mais leve e positiva com o que aconteceu. Não se auto medique. Você já deve ter ouvido várias histórias de homens que tiveram problemas sérios por uso de Viagra (ou outros estimulantes sexuais) sem acompanhamento médico. Todo medicamento pode trazer riscos. É importante saber a causa do problema, o grau da disfunção e depois disso, seguir as orientações e as recomendações de tratamento.

Como emagrecer: 14 dicas para perder peso com saúde

Como emagrecer: 14 dicas para perder peso com saúde

Além de associar uma alimentação equilibrada à prática de atividades físicas, comer de 3 em 3 horas é um ponto importante
Perder peso não é a tarefa mais difícil do mundo, mas, quem já passou por um processo de emagrecimento sabe: exige dedicação, paciência e perseverança. Porém, com certeza vale a pena!

A pessoa que decide que quer emagrecer, seja por uma questão estética, seja por uma preocupação com a saúde, deve, em primeiro lugar, procurar a ajuda de um(a) nutricionista que possa orientá-la nesse processo. Deve, também, ter em mente que “dietas malucas” e/ou radicais, que prometem resultados quase que instantâneos, são prejudicais e dificilmente oferecerão uma perda de peso eficaz e definitiva.

Como a maioria das pessoas já sabe, emagrecer não tem segredo: é fruto de uma boa alimentação aliada à prática regular de atividades físicas.

Porém, algumas orientações são importantes e podem ajudar nesse processo! Confira as dicas a seguir:

1. Siga uma dieta saudável

FOTO: REPRODUÇÃO / GIPHY

A primeira orientação não poderia ser outra. Ninguém emagrecerá de forma saudável e definitiva se não seguir uma alimentação equilibrada.

Leia também: 10 alimentos para um detox poderoso

Carina Amorim de Sá, nutricionista da Academia Contours, explica que alimentos ricos em fibras solúveis e insolúveis – presentes em pães 100% integrais, arroz integral, quinua, linhaça, chia em grãos, aveia, vegetais como alface, couve, escarola etc. – não podem faltar no cardápio de quem está buscando emagrecer. “Pois, além de serem mais nutritivos, vão facilitar o funcionamento do intestino e aumentar a saciedade, levando à redução do consumo calórico”, diz.

De maneira alguma podem faltar frutas, verduras e legumes variados na dieta, pois, ressalta a nutricionista, essas são as melhores fontes de vitaminas, minerais e antioxidantes, importantes para manter o metabolismo ativo, aumentar a produção de energia e facilitar a perda de peso.

“Boas fontes proteicas, como frango, ovos e peixes, são importantes para a manutenção da massa muscular e para propiciar maior saciedade, evitando o alto consumo calórico”, acrescenta Carina.

Saiba mais: Phytophen o que é

2. Coma de três em três horas

FOTO: REPRODUÇÃO / GIPHY

Carina de Sá destaca que comer de três em três horas mantém o metabolismo ativo. “Ou seja, o corpo evita ‘poupar’ calorias para exercer suas atividades diárias, pois entende que sempre vai chegar alimentos para produção de energia”, diz.

A nutricionista explica que isso é interessante pois, até mesmo quando a pessoa “extrapola” nas calorias, nos dias “livres” da dieta, o corpo, por estar com o metabolismo ativo, vai ter mais facilidade em gastar as calorias extras consumidas.

Leia também: 11 maneiras de eliminar ou diminuir a gordura acumulada no culote

Além disso, acrescenta Carina, se ficar em jejum por mais de três horas, o corpo libera um hormônio chamado cortisol, que causa aumento da gordura abdominal e quebra da massa muscular. “Isso é muito ruim, pois deixa o metabolismo mais lento e dificulta a perda de peso”, destaca.

3. Nunca se esqueça de se alimentar

FOTO: REPRODUÇÃO / GIPHY

Algumas pessoas têm dificuldades em seguir a orientação de comer de três em três horas, seja porque acabam esquecendo, por falta de tempo ou até porque não sentem fome nesse período relativamente curto.

Porém, não há escapatórias! Quem ainda não tem o costume de comer de três em três horas e quer emagrecer de forma saudável, deverá criar este hábito.

“Deve-se pensar no alimento como remédio, ‘comer para emagrecer’, é essa a ideia. Então, coloque avisos no celular ou na agenda para não se esquecer de se alimentar”, orienta Carina de Sá.

“Mesmo que a pessoa comece comendo bem pouco, o corpo vai se adaptando e começa a sentir fome nos horários estabelecidos. E assim, o metabolismo vai acelerando e, daí para frente, vai ser difícil ficar sem comer a cada três horas”, acrescenta a nutricionista.

Leia também: 12 alimentos leves para comer à noite sem ficar com o estômago pesado

4. Beba bastante água

FOTO: REPRODUÇÃO / GIPHY

Carina de Sá destaca que a água é essencial para produção de energia: ela ajuda a transformar o alimento em energia, ajuda a transportar esses nutrientes e o oxigênio até as células. “É desintoxicante, além de evitar o inchaço, retenção de líquidos, enxaqueca e fadiga”, explica.

A nutricionista orienta a pessoa a começar e terminar o dia já bebendo um copo de água. “Ao longo do dia, se preciso, também coloque lembretes no celular a cada uma hora com o aviso para tomar água. Deixe uma garrafa de 500ml ou de 1,5l de água o mais perto possível do local de trabalho e, sempre que passar por um bebedouro, encha e beba um copo de água”, sugere.

“Atenção! Não espere a sede chegar para beber água. Ela já é um sinal da desidratação, ou seja, seu corpo já está sofrendo com a falta de água”, acrescenta a profissional.

5. Evite alimentos com alto índice glicêmico e pobres em nutrientes

FOTO: REPRODUÇÃO / GIPHY

Seguir uma alimentação saudável sugere, também, “fugir” de alguns alimentos. “É preciso evitar aqueles que possuem alto índice glicêmico e são pobres em nutrientes, como os alimentos refinados: arroz branco, pão branco, doces e açúcares em geral”, diz Carina de Sá.

6. Evite alimentos industrializados, frituras e embutidos

FOTO: REPRODUÇÃO / GIPHY

A nutricionista Carina destaca que é importante evitar ainda alimentos industrializados, como sorvetes, miojos, biscoitos recheados, bolos, margarina e chocolate ao leite. “Eles são ricos em gorduras saturadas e praticamente não possuem nutrientes”, diz.

Leia também: Vitamina B12: conheça os benefícios que ela pode trazer para sua vida

A pessoa que quer emagrecer também precisa ficar longe de frituras, queijos amarelos, embutidos (como presunto) e do sal em excesso.

7. Evite tomar sucos industrializados e refrigerantes

FOTO: REPRODUÇÃO / GIPHY

Em relação às bebidas, destaca Carina de Sá, é preciso evitar ao máximo os sucos de caixinha industrializados – pois estes são riquíssimos em açúcar –, além de fugir dos refrigerantes.

8. Evite ou diminua o consumo de bebidas alcoólicas

FOTO: REPRODUÇÃO / GIPHY

Muitas pessoas têm o hábito de beber cerveja (ou outra bebida alcoólica) no final de semana, o que, certamente, pode atrapalhar o bom andamento da dieta.

“Nesse caso, estipule uma quantidade fixa da sua bebida favorita, por final de semana, e comprometa-se a não ultrapassar sua meta. Claro, ela deve ser menor do que a quantidade de costume. Assim, a cada final de semana, reduza um pouco até se adaptar a beber menos”, orienta Carina de Sá.

A nutricionista destaca que é importante evitar a restrição completa e radical da bebida em questão. “Outra orientação importante é, a cada copo de bebida alcoólica, consumir um copo de água. Assim você bebe menos e ainda evita a desidratação”, acrescenta.

9. Escolha atividades físicas adequadas

FOTO: REPRODUÇÃO / GIPHY

Não tem como fugir: quem quer emagrecer precisa, também, se exercitar! “Parece até uma equação simples de se resolver: se pensarmos em ingerir menos alimentos calóricos (gorduras e processados) e dar preferência a refeições menos calóricas (fibras e carne magras), e aumentarmos o gasto calórico, com atividades prazerosas, a perda de peso é certa. Mas, a chave para um emagrecimento saudável está em uma boa alimentação aliada a uma atividade física monitorada e, principalmente, voltada para o corpo feminino”, destacam Fabíola Dias e Flávia Freitas, professoras da Academia Contours.

Ainda de acordo com as profissionais, as aulas circuitadas em academias especializadas para mulheres, juntamente com aulas que mesclam movimentos de luta (boxe, Karatê e outras), têm um alto gasto calórico. “Por exemplo, o circuito bem elaborado chega a ter um gasto energético de 665 calorias por hora, se feito três vezes por semana. E, nas aulas de luta, como o Body Combat, a perda é de 495 a 700 calorias por hora”, explicam Fabíola e Flávia.

“Para se ter uma ideia de comparação, na corrida, se houver variação de terreno e instabilidade de percurso, a perda calórica é de, no máximo, 600 calorias por hora, se for mantida uma velocidade média de 9 km/h”, acrescenta as professoras.

10. Reserve pelo menos 30 minutos para praticar atividades físicas

FOTO: REPRODUÇÃO / GIPHY

Atualmente, com a correria do dia a dia, muitas pessoas reclamam que têm pouco tempo para se exercitarem. Porém, para emagrecer de maneira saudável, é fundamental que se mantenha a regularidade na atividade física.

“Se a pessoa conseguir manter a atividade por 30 minutos, 3 vezes na semana, por exemplo, os resultados serão surpreendentes”, destacam as professoras Fabíola e Flávia.

11. Se preferir, caminhe

FOTO: REPRODUÇÃO / GIPHY

Algumas pessoas, simplesmente, não gostam de ir a academias. Porém, ainda assim não há desculpas para elas deixarem de se exercitar.

“A caminhada é uma excelente atividade aeróbica”, destacam Flávia e Fabíola. “Nesse caso, é necessário manter a regularidade de caminhar 3 vezes na semana, por 30 minutos”, acrescentam as professoras.

12. Não se esqueça da alimentação pré e pós-treino

FOTO: REPRODUÇÃO / GIPHY

Carina de Sá explica que a alimentação rica em nutrientes no pré-treino potencializa a execução do exercício, sem deixar a pessoa fadigada durante o treino, além de evitar o catabolismo muscular. “Assim você não perde sua massa magra, que é a mais ativa em relação ao gasto energético”, destaca.

No pós-treino, explica a nutricionista Carina, a alimentação é importante para garantir uma boa recuperação muscular, ou seja, a reposição de glicogênio para os músculos, e evitar novamente sua degradação. “Além dos nutrientes como vitaminas, minerais e antioxidantes, importantes também para manter uma boa produção de energia pelo organismo e amenizar os processos inflamatórios gerados pela atividade física”, diz.

13. Fique longe de estresses

FOTO: REPRODUÇÃO / GIPHY

Outro fator que influencia no funcionamento do seu corpo e que pode contribuir para a perda de peso é o stress. Cuidar da sua saúde mental pode te ajudar a ter mais energia para seguir uma alimentação saudável e se exercitar. Além disso, você pode buscar por atividades que proporcionem as duas coisas: uma mente tranquila e saudável e um corpo ativo. Algumas boas opções são a yoga, o pilates e a corrida.

14. Mantenha o foco nos benefícios da perda de peso

FOTO: REPRODUÇÃO / GIPHY

Como já foi citado, uma dieta de emagrecimento exige dedicação e foco. Se, durante o processo, por um motivo ou outro, você tiver vontade de desistir, afaste todo o pensamento negativo!

Foque em todos os benefícios que a perda de peso proporcionará: além de melhorar sua autoestima, o emagrecimento trará mais saúde e bem-estar, já que deixará sua pressão sob controle e diminuirá significativamente os riscos de diabete, derrame e doença cardiovascular.

Enfim, não faltam bons motivos para você aderir a uma dieta saudável! E agora você já tem ótimas dicas para isso. Mas, não se esqueça de começar procurando por profissionais que possam ajudá-la nesse processo!

Clínica Leger com tratamento para rugas

Clínica Leger com tratamento para rugas

Tratamento para rugas: As rugas são vincos, sulcos ou franzidos na pele que surgem em decorrência do processo de envelhecimento natural da pele e dos músculos, por meio de contrações musculares repetidas, carência alimentar e exposição contínua ao sol.

Apesar de serem resultado dos processos naturais do organismo, alguns fatores externos podem agravar essas rugas, como a fumaça do cigarro, estresse e alterações dos hormônios femininos.

Os tratamentos para rugas são divididos em tratamentos clínicos e cirúrgicos. Nos tratamentos clínicos estão as aplicações de cremes, os peelings químicos, os implantes de colágeno e ácido hialurônico, e as aplicações de laser.

Nesta categoria de tratamento para rugas está também o uso da toxina botulínica tipo A, mais conhecida pelo seu nome comercial*.

Conheça os principais tipos de tratamento para rugas
Laser de CO2 Fracionado: O laser CO2 fracionado no tratamento para rugas objetiva o rejuvenescimento dos tecidos faciais. Ele age substituindo a pele com aspecto envelhecido por uma mais nova por meio da estimulação do colágeno, pois possui em sua tecnologia a propriedade de tratar a derme de maneira mais profunda. Devido a sua afinidade com a água, suaviza as rugas finas dos lábios, rugas da testa e os famosos “pés de galinha”.

Saiba mais: Proteína asiática preço

O procedimento de tratamento para rugas a laser trabalha a partir da emissão de ondas de laser, levando os locais atingidos a responderem por meio de um processo de reconstituição. Essa resposta acontece através da contração imediata da pele, devido à contração do colágeno a temperaturas acima de 60°C.

tratamento de rugas a laser co2O tratamento para rugas com uso do laser CO2 fracionado é realizado com anestesia local, no próprio consultório, e as sessões duram em média de 20 a 45 minutos, variando de três a cinco sessões com intervalos de 30 dias.

Os resultados são visíveis a partir da primeira sessão, quando se percebe a diminuição dos poros e das rugas finas. Em casos de rugas profundas, os resultados aparecem, normalmente, após seis meses.

Após o tratamento, é indicado que a pele não seja exposta ao sol, por pelo menos 15 dias após as aplicações, a fim de evitar o aparecimento de manchas.

Também é indicado que nas primeiras horas, se usem compressas de gelo ou de camomila para aliviar as ardências. É aconselhado manter a pele hidratada com óleos ou cremes.

Radiofrequência: A radiofrequência no tratamento para rugas é um procedimento realizado livre de lesões, cortes ou inchaços, e que visa suavizar rugas e marcas de expressão. A radiofrequência age por meio da liberação de ondas de calor na camada onde se encontra o colágeno. Por meio deste aquecimento as fibras de colágeno se contraem, aumentando o metabolismo dos fibroblastos, regenerando as fibras de colágeno, amenizando as rugas e estimulando um novo tecido mais jovem.

O tratamento para rugas varia de 10 a 15 sessões, com aplicações uma vez por semana com duração de 20 a 40 minutos. O número das sessões e a sua duração podem variar de acordo com o grau de profundidade das rugas.

Toxina botulínica: A aplicação da toxina botulínica no tratamento para rugas é feita através de pequenas injeções nos locais a serem tratados. Essa substância paralisa a musculatura, impedindo a transmissão dos impulsos do neurônio para o músculo e, posteriormente, a relaxa.

O tratamento para rugas é feito por meio da utilização de anestesia tópica, seguida da pomada e da posterior aplicação da toxina botulínica A. O procedimento tem duração de aproximadamente 30 minutos, e os resultados começam a aparecer entre dois e sete dias, permanecendo em torno de quatro a seis meses.

Após o tratamento com toxina botulínica para rugas é indicado evitar exposição ao Sol, não deitar-se por quatro horas, não realizar atividades físicas no dia da aplicação e, por último, não massagear a área tratada.

botox no tratamento para rugas

Drenagem linfática facial: A drenagem linfática facial é um tratamento que impede o aparecimento de rugas e marcas de expressão, amenizando os efeitos provocados pela exposição ao Sol e pelo cansaço. O procedimento é realizado manualmente pelo fisioterapeuta, por meio de sessões de massagens relaxantes, que beneficiam a eliminação dos dejetos da metabolização celular, diminuindo, assim, a fibrose tissular.

O número de sessões varia de seis a dez, com aplicações de uma a três vezes por semana, com duração de 30 a 40 minutos.

Peeling de Diamante: O procedimento de peeling de diamante é realizado com uma caneta a vácuo, que possui uma ponteira de diamante de diferentes espessuras. Ela desliza sobre a pele esfoliando e refazendo a superfície facial, renovando as células, estimulando a formação do colágeno, proteína natural.

São feitas, em média, de cinco a dez sessões, com intervalos de 15 dias entre elas. Após o tratamento, o paciente pode voltar normalmente as suas atividades cotidianas, pois não é necessário qualquer tipo de recuperação. Além disso, o peeling de diamante pode ser feito em todos os tipos e tons de pele, sem provocar manchas.

Peeling Químico: O peeling químico é uma solução aplicada na pele que tem o objetivo de remover as células mortas e estimular a formação de novas. O tratamento depende da profundidade das rugas, o que determina os resultados e a intensidade com que o peeling químico será aplicado.

O tratamento é feito a partir da retirada de uma camada da pele, que é posteriormente regenerada devido à ação de células que permanecem em determinados pontos e com capacidade de reprodução.

Após o tratamento, é necessário de cinco a sete dias de recuperação. A pele pode aparentar uma severa queimadura solar, mas isto será causado pela sensibilidade da mesma em relação à luz, sendo necessário, assim, evitar a exposição ao Sol pelo período indicado pelo responsável pelo procedimento.

peeling-quimico

Luz intensa pulsada: A luz intensa pulsada pode emitir diferentes comprimentos de ondas, mas todos agem a partir da geração de calor na pele, atingindo a melanina, os vasos sanguíneos e o colágeno. O procedimento é realizado sem provicar lesões, atuando apenas na formação de um novo colágeno.

Bioplastia para preenchimento de rugas: A bioplastia facial é um tratamento realizado por meio do preenchimento, a fim de eliminar as rugas e marcas de expressão. Em sua aplicação, são passíveis de serem utilizados tanto produtos absorvíveis como o ácido hialurônico, quanto não absorvíveis, como o polimetilmetacrilato (PMMA).

O procedimento é feito com a utilização de anestesia local. O produto mais utilizado para o preenchimento de rugas é o ácido hialurônico, visto que ele apresenta-se como um componente natural da pele, sendo absorvido pelo organismo no período de seis a 12 meses.

Tratamento de choque para mãos e pés ressecados

Tratamento de choque para mãos e pés ressecados

Anda sofrendo com unhas descamando, mãos secas e pés rachados? Pode ser culpa do frio! Mas dá para reverter a situação fácil, fácil.

Faltam pouco mais de três semanas para acabar o inverno. Ufa! Mas os efeitos dos meses de clima frio e seco a gente vê na pele. Mãos enrugadas, unhas que se lascam, pés ásperos. Não dá nem para pensar em comemorar a chegada da nova estação, com seus esmaltes pastel e sandálias abertas, nessa situação.

Leia também: pé ressecado causa

Rotina de cuidados com a pele
4 Passos para um rosto jovem
10 Atitudes ruins para a sua pele
Aproveite essas últimas semanas para fazer um tratamento intensivo de recuperação para florescer, linda, assim que a primavera chegar.

Mãos em choque
No inverno é preciso dar especial atenção às mãos por estarem mais sensíveis à lavagem que o normal. “Sem os devidos cuidados, elas podem rachar e ficar doloridas”, avisa Ligia.

“Use cremes especiais para mãos que contenham ácido glicólico, um ativo poderoso capaz de remover asperezas e fissuras. É indispensável que contenham ainda ureia e silicones, para conferir hidratação profunda e uma camada protetora contra danos mecânicos e perda de água”, avisa.

SHOP: 1 Creme para as Mãos – Ligia Kogos Mãos Creme | 2 Creme para as Mãos e Cutículas – Clinique Deep Comfort

Unhas que se lascam
O ressecamento afeta as unhas, deixando-as riscadas e quebradiças, podendo apresentar desfolhamento. “Hidrate-as com cremes lubrificantes consistentes diariamente ou no mínimo semanalmente”, aconselha ela. A dermato diz ainda para você deixar as unhas sem esmalte uma noite por semana para repousar.

SHOP: 1 Creme para as Unhas e Cutículas – Ligia Kogos | 2 Creme para Unhas e Cutículas – Burt’s Bees Lemon Butter Cuticle

Pés maltratados
No inverno, a gente usa botas e sapatos bem fechados para manter os pés quentinhos. Mas eles podem sofrer com aperto e abafamento. “Para cuidar bem deles, use cremes a base de ácido salicílico, ureia e alantoína”, fala Ligia. Aplique diariamente após o banho, passando sobre todo o pé, nas unhas e sob elas.

“Esses produtos também podem ser aplicados em joelhos e cotovelos, combatendo a aspereza e o ressecamento.” Outra dica é deixar os pés imersos na água quente durante o banho, o que atenua dores e recompõe a pele. “Nessa hora você pode também fazer uma esfoliação com bucha ou sabonetes com grãos abrasivos”, sugere Ligia.

Virada da Pele Saudável oferece consultas e procedimentos gratuitos em SP

Virada da Pele Saudável oferece consultas e procedimentos gratuitos em SP

Evento ocorre durante 36 horas ininterruptas e alerta sobre a importância de ir ao dermatologista mesmo sem problemas aparentes

Acnes são o principal motivo de visita ao dermatologista.
Acnes são o principal motivo de visita ao dermatologista. Foto: Kjerstin_Michaela/Pixabay

Cuidar da pele, mesmo que apenas por questão estética, implica em cuidar da saúde como um todo. De um lado, a preocupação com a aparência relaciona-se com a autoestima e o emocional da pessoa; de outro, existe a prevenção a doenças e manutenção da integridade deste órgão. Entre suas funções, está a de proteger todos os órgãos do corpo, uma vez que atua como uma barreira contra a entrada de corpos estranhos no organismo.

LEIA TAMBÉM:
Coreanas têm dez passos para cuidar da pele; saiba quais são
O que é ‘essence’ e por que ela é mais importante do que hidratante?
Dermatologista esclarece dúvidas sobre uso de protetor solar
Para reforçar a importância desse cuidado constante e facilitar o acesso a um médico especialista, as Faculdades BWS e a Associação Pele Saudável realizam, a partir desta terça-feira, 18, a sexta edição da Virada da Pele Saudável. O evento ocorre durante 36 horas ininterruptas e oferece consultas e procedimentos dermatológicos gratuitos.

Leia também: Dicas pele saudável

“O acesso da população ao (médico) generalista é mais fácil, mas para ser encaminhado ao especialista tem de ter demanda específica. É preciso passar com o dermatologista não só para tratamento em caso de patologia, mas também para ter orientação de como manter a saúde da pele, independentemente de ter lesão”, orienta Seomara Passos Catalano, dermatologista e coordenadora da Virada e do curso de pós-graduação em dermatologia das Faculdades BWS.

Seomara explica que a pele é o maior órgão do corpo e, por ser completamente exposto, sofre com a ação da temperatura, do tempo, da idade e das mudanças hormonais. No caso das mulheres, o hormônio feminino retém a hidratação, mas, conforme envelhecem, a quantidade desse hormônio diminui. Por isso, é necessário intensificar os cuidados com o tratamento adequado.

GALERIA: Conheça mitos e verdades sobre a exposição solar

Pixabay Ver Galeria 6
6 imagens
Prevenção
Problemas que, sem dúvida, merecem uma visita ao dermatologista são alergias e inflamações na pele. As doenças mais vistas nos consultórios, segundo Seomara, são tumores, desde o não melanoma (que tem evolução mais leve, porém se não cuidar pode levar à morte) até o melanoma, que é mais grave e tem maior taxa de morbidade.

A especialista afirma que, mesmo cuidando da pele corretamente, é importante ir ao dermatologista com periodicidade. “Existem doenças que são visíveis, mas outras precisam de busca ativa do profissional, que pode flagrar algo que está no início ou menor”, diz Seomara. Exemplo disso é a psoríase, uma doença autoimune com caráter genético que, muitas vezes, só é devidamente diagnosticada tardiamente.

Outras doenças, embora não sejam propriamente dermatológicas, têm manifestação na pele e um especialista pode, facilmente, detectá-las. “Quem tem insuficiência renal tem cor da pele diferente e existem cores para determinados medicamentos que o paciente toma”, afirma Seomara. Ela ressalta que cabelo e unhas são anexos da pele, sendo que qualquer alteração neles pode ser avaliada por um dermatologista. “É melhor prevenir com cuidados simples do que tratar com o caso já avançado”, reforça a coordenadora da Virada.

Atendimento resolutivo
Seomara explica que a Virada da Pele Saudável tem caráter resolutivo, ou seja, a pessoa vai sair do local com o caso solucionado ou, pelo menos, direcionado para isso. O evento, que ocorre em uma das unidades das Faculdades BWS, na Bela Vista, conta com laboratório para realizar biópsia ou pequenas cirurgias se for o caso, como retirada de tumores. Posteriormente, o paciente volta para pegar o resultado do exame e continuar com o tratamento.

A dermatologista faz uma ressalva para idosos que tomam muitos remédios, inclusive anticoagulante, pois é preciso suspender a medicação antes de realizar o procedimento. “A gente pede tudo o que é necessário e a pessoa sai com a cirurgia agendada”, diz. “A única exceção de cirurgia é o porte. Se o tumor é grande e precisa de internação, tem de ser no centro cirúrgico. A pessoa faz a biópsia, recebe diagnóstico e é encaminhada para o serviço público”, completa. Todos os procedimentos são gratuitos.

No ano passado, a Virada da Pele Saudável realizou 4.811 consultas dermatológicas e 893 procedimentos cirúrgicos durante as 36 horas de evento. A iniciativa beneficia também os estudantes da instituição, que participam dos atendimentos e aprendem a reconhecer e diagnosticar as diversas doenças de pele.

Problemas de pele

Problemas de pele

FIQUE A SABER TUDO SOBRE OS MAIS COMUNS PROBLEMAS DE PELE. COMO TRATAR, QUAIS OS SINTOMAS, COMO PREVENIR? TODAS AS INFORMAÇÕES PARA QUE A SUA PELE NUNCA SOFRA.

Dermatite Atópica

O que é?
A dermatite atópica, mais conhecida pelo termo eczema, é uma doença crónica da pele, que com frequência se associa a outras doenças alérgicas, nomeadamente a asma brônquica e a rinite, aparecendo habitualmente antes das manifestações respiratórias. Atinge preferencialmente os grupos etários pediátricos e em 80% dos casos manifesta-se durante o primeiro ano de vida.

O que é?
Qual é a frequência da dermatite?
Em Portugal, estima-se que cerca de 10% das crianças são atingidas pela doença, sendo neste grupo etário a doença dermatológica crónica mais frequente, embora apenas 1 a 2% sofram de queixas graves. Na maior parte das situações a doença tende a melhorar muito e até a desaparecer com a idade, embora possa permanecer por toda a vida; a persistência desta entidade é mais observada nos casos onde o aparecimento é mais tardio.

qual é a frequencia da dermatite

Como se manifesta a dermatite atópica?
O diagnóstico baseia-se na presença de prurido (“comichão”), associado a sinais cutâneos como rubor, exsudação, secura e descamação da pele e, em situações mais arrastadas, podem existir cicatrizes provocadas pela coceira persistente. A localização destas lesões varia consoante o grupo etário: as crianças mais pequenas apresentam atingimento preferencial da cabeça, por vezes apenas atrás das orelhas, e das superfícies extensoras dos membros, enquanto as crianças mais velhas e os adultos tendem a manifestar a doença nas superfícies de flexão (atrás dos joelhos e na frente dos cotovelos); os adolescentes são também frequentemente atingidos nas pálpebras e na região peri-labial.
A confusão com outras entidades condicionantes de intenso prurido deve ser devidamente avaliada, não só com o objetivo de se excluírem mas também pela probabilidade de ocorrência simultânea, particularmente de infeções. A avaliação clínica efetuada permite afastar estas situações, bem como permite caracterizar as complicações.

como se manifesta a dermatite atópica
Como se diagnostica?
Os exames complementares de diagnóstico passam pela realização de testes cutâneos, caso exista pele íntegra e, pelos doseamentos sanguíneos de anticorpos, nomeadamente para alergenos do ambiente e alergenos alimentares, permitindo caracterizar alguns dos fatores de agravamento.

Como se diagnostica
Qual é o tratamento da dermatite atópica?
No tratamento da dermatite atópica devem ser consideradas medidas gerais:

só utilizar vestuário de algodão, para evitar suar (o suor aumenta o prurido)
lavar as roupas novas antes da primeira utilização (prevenir reacções irritativas)
evitar grandes exposições a ambiente com pó (efeito de secura e irritação).
Perante uma situação na qual se tenha identificado alimentos capazes de originar o aparecimento ou o agravamento das lesões cutâneas, esses devem ser evitados; no entanto, cuidado com as dietas generalizadas mal orientadas, pelos riscos nutricionais e custos associado. Também deve ser evitado o contacto com os alergenos do ambiente aos quais esteja sensibilizado (exemplos: ácaros do pó doméstico, animais de companhia).

Muito importante é proceder à hidratação da pele, utilizando para tal um emoliente (hidratante), o qual deve ser aplicado imediatamente após o banho (água morna) com o objetivo de evitar a evaporação da água retida na pele durante o mesmo. Devem então ser preferidos os emolientes em cuja composição haja predominância de ácidos gordos (ómegas) e não água, a qual, à semelhança das múltiplas lavagens, pode mesmo condicionar secura da pele e agravamento da doença.

Leia também: Problemas de pele como tratar

Grande parte das situações responderá a este tipo de medidas; se apesar delas se mantiver o prurido (ainda que sem lesões), ele deve ser controlado, para evitar a coceira, ela própria condicionante de agravamento da doença e, consequentemente, de mais prurido. Este ciclo pode, então, ser minimizado através da hidratação cutânea, mantendo sempre as unhas bem cortadas e, recorrendo a anti-histamínicos orais, os quais podem também ser utilizados diariamente, por longos períodos, com o objetivo de estabilizar a doença. Nas formas mais graves ou se surgem agudizações devem ser utilizados corticosteróides sob a forma de creme ou pomada (utilizando os de menor potência possível; na face preferencialmente a hidrocortisona a 1%); se a intensidade e a extensão o justificar podem ser administrados corticosteróides orais por períodos muito curtos.

Note: Como os corticosteróides em comprimidos e em cápsulas podem provocar graves efeitos colaterais, os médicos só os usam como último recurso para os indivíduos de tratamento difícil. Estes fármacos orais podem travar o crescimento, enfraquecer os ossos, inibir a função das glândulas supra-renais e causar muitos outros problemas, especialmente nas crianças. Além disso, os seus efeitos benéficos são apenas temporários.
Em alguns casos, a terapêutica anti-infeciosa pode ser necessária. Em condições particulares, o especialista poderá propor a utilização de outros tratamentos.

Dermatite seborreica
Dermatite seborreica

O que é?
A dermatite seborreica é uma inflamação das camadas superficiais da pele que provoca escamas no couro cabeludo, na cara e, ocasionalmente, noutras zonas.
A dermatite seborreica afeta habitualmente vários membros da mesma família e o clima frio costuma piorá-la.

O que é?
Quais os sintomas?
A dermatite seborreica costuma aparecer gradualmente, provocando uma escamação seca ou gordurosa no couro cabeludo (caspa), por vezes com comichão, mas sem perda de cabelo. Nos casos mais graves aparecem pápulas amareladas ou avermelhadas ao longo do risco do penteado, por trás das orelhas, no canal auditivo, sobre as sobrancelhas, na cana do nariz, à volta do nariz e no peito. Nos bebés com menos de um mês, a dermatite seborreica pode provocar uma lesão com crosta, amarela e espessa (gorro do lactente) e, por vezes, uma escamação amarela por trás das orelhas, além de pápulas vermelhas na face. Frequentemente, com a erupção do couro cabeludo aparece também outra, muito persistente, na zona da fralda. As crianças mais crescidas podem desenvolver na pele lesões espessas, persistentes e com grandes escamas.

Quais os sintomas?
Tratamento
Nos adultos, o couro cabeludo pode ser tratado com champôs que contenham zinco, sulfureto de selénio, ácido salicílico, sulfureto ou alcatrão. A pessoa usa em regra estes champôs diariamente até controlar a caspa e, depois, duas vezes por semana. Geralmente, o tratamento deve continuar durante vários meses. Se a dermatite reaparecer depois de se suspender o tratamento, pode começar-se de novo.

InneovDucrayIsdinDercos

As loções que contêm corticosteróides também se usam na cabeça e noutras áreas afetadas. Na cara só se deverão usar loções com corticosteróides não muito potentes, como a hidrocortisona a 1 %. Até os corticosteróides fracos devem ser utilizados com precaução, sob orientação médica ou farmacêutica, porque o uso prolongado pode reduzir a espessura da pele e provocar outros problemas. Se a terapia com corticosteróides não eliminar as lesões, em alguns casos usa-se um creme com quetoconazol.

Nos lactentes e nas crianças pequenas que apresentam uma crosta espessa no couro cabeludo – consulte artigo sobre crosta látea.

Dermatite de contacto

Dermatite de contacto
O que é?
A dermatite de contacto é uma inflamação causada pelo contacto com uma determinada substância.

A erupção fica confinada a uma área específica e costuma ser bem delimitada.
As substâncias que provocam dermatites de contacto podem causar a inflamação da pele por um de dois mecanismos: irritação (dermatite irritativa) ou reação alérgica (dermatite alérgica). Até os sabões suaves, os detergentes e certos metais podem irritar a pele depois de um contacto frequente. Por vezes, uma exposição repetida, inclusivamente à água, pode secar e irritar a pele. Os irritantes fortes, como os ácidos, os álcalis (como os tira-nódoas) e alguns solventes orgânicos (como a acetona, utilizada para remover o verniz das unhas) podem provocar alterações na pele em questão de minutos.
Numa reação alérgica, a primeira exposição a uma determinada substância (ou, por vezes, as primeiras exposições) não provoca nenhum sintoma, mas a exposição seguinte pode provocar ardor e dermatite no espaço de 4 a 24 horas. As pessoas podem usar (ou ser expostas a) determinadas substâncias durante anos sem problemas e, de repente, desenvolver uma reação alérgica. Mesmo os unguentos, os cremes e as loções usadas para tratar a dermatite podem provocar essa reação. Cerca de 10 % das mulheres são alérgicas ao níquel, a causa mais frequente de dermatite provocada por jóias. Também é possível desenvolver dermatite a partir de qualquer material em que uma pessoa toque enquanto trabalha (dermatite ocupacional).
Uma dermatite que ocorre quando se toca em determinadas substâncias e em seguida se expõe a pele à luz solar denomina-se dermatite de contacto fotoalérgica ou fototóxica. Entre estas substâncias encontram-se os filtros solares, as loções para depois de barbear, certos perfumes, antibióticos, alcatrão (coltar) e óleos.

O que é?

Quais os sintomas?
Os efeitos da dermatite de contacto variam entre uma vermelhidão, ligeira e passageira, e uma inflamação grave com formação de bolhas. A erupção consiste frequentemente em bolhas diminutas que provocam comichão intensa (vesículas). Ao princípio as lesões limitam-se à zona de contacto, mas posteriormente podem espalhar-se. A zona afectada pode ser muito reduzida (por exemplo, os lóbulos das orelhas, se os brincos provocarem dermatite) ou então pode abranger uma grande superfície do corpo (por exemplo, se a dermatite for provocada por uma loção para o corpo).
Quando se suprime a substância que provoca a erupção, a vermelhidão costuma desaparecer em poucos dias. As bolhas podem exsudar e formar crostas, mas secam rapidamente. A escamação residual, a comichão e o espessamento temporário da pele podem durar dias ou semanas.

Quais os sintomas

Diagnóstico
Nem sempre é fácil determinar a causa da dermatite de contacto porque as possibilidades são infinitas. Além disso, a maioria das pessoas não tem consciência de todas as substâncias que tocam na sua pele. A localização da erupção inicial é, frequentemente, um factor importante.
Se o médico suspeita de dermatite de contacto mas não descobre a causa através de um cuidadoso processo de eliminação, pode fazer a prova do adesivo. Para este teste, colocam-se sobre a pele durante dois dias pequenos emplastros adesivos com substâncias que costumam causar dermatite, para comprovar se se verifica erupção debaixo de algum deles.
Apesar de ser muito útil, esta prova do adesivo é complicada. O médico deve decidir que substância testar, que quantidade aplicar de cada substância e quando se deverão fazer os testes. Além disso, os resultados da prova podem ser difíceis de interpretar. Os testes podem ser falsamente positivos ou negativos. A maioria das pessoas pode descobrir a origem da sua dermatite sem esta prova do adesivo, eliminando sistematicamente as causas possíveis. De qualquer forma, trata-se de uma prova que pode contribuir com dados importantes para identificar a causa.

Diagnostico
Tratamento
O tratamento consiste em eliminar ou evitar o que esteja a causar a dermatite de contacto. Para prevenir a infeção e evitar a irritação, a pessoa afetada deverá limpar a área regularmente com água e sabão suave. As bolhas não deverão ser rebentadas. As ligaduras secas também podem ajudar a evitar uma infeção.
Os cremes ou unguentos com corticosteróides costumam aliviar os sintomas da dermatite de contacto leve, a menos que a pessoa apresente muitas bolhas, como no caso da reação à sumagre (poison ivy). Os comprimidos com corticosteróides (como a prednisona) por vezes administram-se em casos de dermatite de contacto. Embora em algumas situações os anti-histamínicos aliviem a comichão, não são particularmente benéficos na maioria dos casos de dermatite de contacto.
No caso de o alergeno causal estar identificado e ser um objeto com o qual a pessoa contacte numa pequena área de pele, para prevenir a dermatite de contacto a quando novo contacto, podem-se usar os chamados cremes barreira ou filmes que isolam a pele. A Sweetcare dispõe de várias alternativas.

FLACIDEZ FACIAL E CORPORAL: MELHORES PRODUTOS,

FLACIDEZ FACIAL E CORPORAL: MELHORES PRODUTOS

TRATAMENTOS E COMO ACABAR COM A FALTA DE FIRMEZA NA PELE
Saiba tudo sobre a flacidez do rosto e corpo e descubra como prevenir os sintomas / Foto: Roberto Nickson, Unsplash.com
Saiba tudo sobre a flacidez do rosto e corpo e descubra como prevenir os sintomas / Foto: Roberto Nickson, Unsplash.com

Saiba mais
A flacidez do rosto ou do corpo é uma característica que atinge várias pessoas – entre homens e mulheres – e, muitas vezes, acaba se tornando um grande problema estético. A pele pode perder o tônus em várias circunstâncias, especialmente, em casos de perda muito intensa de peso, após a gravidez ou devido ao processo de envelhecimento. Mas como podemos acabar com essa falta de firmeza corporal e facial? Existem produtos capazes de prevenir e tratar a flacidez da pele? É mesmo necessário fazer exercício físico? O DermaClub fez um apanhado para esclarecer essas e outras dúvidas sobre o tema. Confira!

1. O que é flacidez?
A flacidez, normalmente é um processo natural da pele, que se dá com o envelhecimento e a perda das fibras de colágeno – proteína responsável pela sustentação da pele. Elas são degradadas a uma velocidade maior do que conseguem ser produzidas e a partir dos 25 anos, já é possível notar a queda da produção, não só em relação à quantidade, mas também à qualidade. O resultado desse somatório é uma pele mais flácida e com estrutura bastante comprometida.

Leia também: Flacidez tratamentos

Já conhece o clube de vantagens DermaClub? Com ele, você terá muito mais motivos para cuidar da sua pele. Acesse o link, cadastre-se no programa e aproveite os benefícios!

1.1. A quem a flacidez atinge?
No geral, uma rotina desregrada de saúde e cuidados com o corpo podem levar à flacidez. Por uma questão hormonal, mulheres são mais propensas à perda de firmeza dos tecidos. Mulheres após a menopausa, idosos de ambos os sexos que sofrem substituição de parte dos músculos por gordura, pessoas que perdem grande quantidade de peso de forma rápida e indivíduos de pele mais clara, que se expõem muito a raios solares, desenvolvem a flacidez.

1.2. O que a flacidez pode causar?
– Celulite;

– Rugas;

– Ressecamento da pele.

1.3 Causas da flacidez:
Algumas coisas que podem deixar a pele flácida são:

– Perda de colágeno;

– Processo de envelhecimento;

– Usar roupas apertadas;

– A falta de hidratação da pele;

– O consumo incorreto de água;

– Abusar do sal na comida;

– Exagerar nos doces;

– Alimentação rica em gordura;

– Ausência de atividades físicas;

– Etc.

2. Cuidados que ajudam a recuperar a firmeza da pele
Para recuperar a firmeza da pele e acabar de vez com a flacidez, vale adotar alguns hábitos. Confira:

2. 1. Técnicas de massagem
Massagear os músculos da face e do corpo ajuda a pele a ficar mais firme e forte.

2. 2. Alimentação saudável
É fundamental para dar um equilíbrio na saúde da sua pele. Alimentos com antioxidantes, como vitamina C e E, leite, cereais e peixes ajudam a nutrir a pele e manter a firmeza.

2. 3. Filtro solar
Exposição solar em excesso coopera para que o tecido da pele perca força, causando o aparecimento de manchas, envelhecimento precoce e, ainda, pode ocasionar câncer de pele. Por isso, use o filtro para evitar os danos negativos e rugas.

2. 4. Utilize produtos especializados
Escolher dermocosméticos adequados também ajuda no combate à flacidez da pele, porém, antes de comprar qualquer produto, o ideal é consultar o seu dermatologista. Para isso, são indicados cremes rejuvenescedores e produtos que favoreçam a produção de substâncias naturais da pele, como colágeno e elastina.

2. 5. Pratique atividade física regular
Ao praticar atividades físicas, você fortalece os seus músculos e também o tônus dos mesmos. Desta forma, a pele também fica menos flácida e mais lisa. Escolha um exercício que se identifique com você, seja ele ao ar livre, dentro de uma academia ou até em uma escola de dança.

3. Alimentos que ajudam a combater a flacidez
3. 1. Frutas vermelhas (amora, morango, cereja e framboesa)
São ricas em antioxidantes, que agem contra os radicais livres – átomos que se unem às células boas e anulam suas funções.

3. 2. Alimentos alaranjados
É possível obter a vitamina A, que contribui para a produção das fibras de colágeno, por meio da abóbora, cenoura e manga.

3. 3. Frutas cítricas
São ricas em vitamina C e também colaboram para a formação de colágeno.

3. 4. Aveia
Além de regular o intestino, o que ajuda na aparência da pele, o cereal é fonte de silício, que é indispensável na produção de colágeno.

4. O que não comer para prevenir a flacidez?
Existem alimentos que estimulam ou agravam a flacidez no corpo. Por isso, evite comidas muito doces, refrigerantes, frituras, embutidos e alimentos ricos em sódio. Não se esqueça de procurar o seu nutricionista para indicações mais especializadas.

5. Como tratar a flacidez?
Existe uma variedade de artifícios para minimizar a flacidez na pele:

– Uso de dermocosméticos com ácido hialurônico e outros ativos hidratantes, como a vitamina B5 e o Pro-Xylane;

– Radiofrequência;

– Laser;

– Preenchimento com ácido hialurônico;

– Aplicação de toxina botulínica;

– Peelings;

– Alimentação saudável;

– Atividades físicas.

6. Ativos que ajudam no tratamento da flacidez
– Ácido hialurônico;

– Manteiga de karité;

– Vitamina B5;

– Vitamina B3;

– Pro-Xylane;

– HEPES.

7. Mitos e verdades sobre a flacidez
7. 1. Exercícios físicos ajudam acabar com a flacidez.
Verdade. Fazer exercício físico é fundamental para combater a flacidez, já que as atividades de força, resistência e alongamento ajudam a manter o corpo com tônus em dia. Ao estimular os músculos e diminuir o tecido adiposo, os exercícios revelam áreas mais tonificados e amenizam, ao mesmo tempo, a flacidez.

7. 2. A alimentação não tem nada a ver com a pele flácida
Mito. Uma alimentação equilibrada é fundamental para a prevenção e combate à flacidez. Nesse sentido, é interessante investir em substâncias antioxidantes e ricas em nutrientes essenciais, que contribuem para a sustentação e a elasticidade da pele.

7. 3. É normal a flacidez ocorrer após a gravidez
Verdade. A flacidez é muito ressaltada pelas mulheres após o parto, devido ao estiramento demasiado das fibras de colágeno e elastina durante a gestação. Depois que a paciente tem o bebê, tende a perder peso, e esse processo faz com que a pele fique frouxa e flácida.

 

Melhores cremes para assaduras

Melhores cremes para assaduras

Olá, leitores do Mil Dicas de Mãe.

Hoje temos um tema sobre o qual toda mãe gosta de dar sua opinião: o melhor creme anti-assaduras. Afinal, usamos esse item todos os dias nos bebês, e sabemos da importância dele (quem já viu a pele do bebê começar a ficar vermelhinha sabe bem do que eu estou falando).

Nesse primeiro ano da Catarina eu testei algumas marcas de creme anti-assaduras, mas sempre voltei para o velho Hipoglós (usei tanto o tradicional como o amêndoas), por considerar um custo-benefício interessante. Mas acho que existem outras boas opções, então vamos aos pontos positivos e negativos que encontrei em cada uma delas:

– Hipoglós tradicional: eu gosto. O cheiro é pavoroso para algumas mães, mas não me incomoda. Acho que protege bem a pele do bebê (Catarina não teve nenhuma assadura séria, e olha que ela já enfrentou dois verões – época em que a pele fica mais susceptível à lesão, devido ao calor excessivo e umidade). Fica grudado na pele por um bom tempo (na troca de fraldas seguinte você vê que ainda tem produto ali).
Pontos positivos: muito boa proteção (fica grudado e protege a pele mesmo); preço acessível; disponível em 3 tamanhos (prático – 45g (para levar na bolsa); trocador – 90g; megaeconômico – 135g).
Pontos negativos: o espalhamento e a remoção são mais difíceis; há mães que não gostam do cheiro.

Leia também: Hipoglós comprar

– Hipoglós amêndoas: a remoção é mais fácil que a do tradicional. E isso significa um ponto a favor e outro contra, claro!
Pontos positivos: boa proteção (mas eu acho que nem tanto quanto o tradicional – minha opinião pessoal); algumas mães gostam justamente da facilidade em espalhar e remover; preço acessível; está disponível em 2 tamanhos (prático – 40g; trocador – 80g); o cheiro é mais bem aceito.
Pontos negativos: acho que a proteção é um pouco inferior à do Hipoglós tradicional.

– Bepantol baby: quem está acostumado ao Hipoglós pode estranhar um pouco no começo, porque ele é transparente e espalha facilmente (dá a impressão de que não vai proteger a pele, mas aí vem uma grata surpresa – funciona bem!).
Pontos positivos: muito boa proteção (tão boa quanto ao do Hipoglós tradicional); é transparente, o que possibilita acompanhar o aspecto da pele mais facilmente; o cheiro não incomoda; o espalhamento e a remoção são fáceis (mesmo assim a pele fica protegida).
Pontos negativos: é um pouco mais caro que o Hipoglós; até onde sei só está disponível em 1 tamanho (30g, que é pequeno).

– Huggies Turma da Mônica: comprei para experimentar por causa da marca, que em geral tem bons produtos.
Pontos positivos: espalhamento e remoção fáceis (é bem menos viscoso que os outros); o cheiro é bom.
Pontos negativos: na minha opinião não protege tão bem quanto os anteriores (mas não chega a ser ruim). Não aguenta uma noite inteira de xixi (pode ser que você goste para usar apenas durante o dia, em que as trocas são mais frequentes). Não é barato nem caro e só vem em 1 tamanho (90g).

– Weleda calêndula babycreme: como os outros produtos da marca, a proposta é ser o mais natural possível. Tem em sua composição o extrato de calêndula biodinâmico. Conheci essa história de biodinâmico em um programa da GNT que foi até a fábrica da Weleda, na Europa. Amei! Toda a plantação, colheita e preparo do produto é feito para conservar a energia da planta. E os funcionários parecem super felizes, pois eles acham que o produto também leva a energia de quem o prepara. Quer saber mais, veja o vídeo:

Ok, a proposta é maravilhosa! Mas o produto é bem caro… Difícil usar no dia-a-dia, pois o gasto seria bem maior do que os cremes anti-assaduras convencionais… Comprei um só para ter o gostinho, então lá vai a avaliação:
Pontos positivos: espalhamento e remoção fáceis; boa proteção (não é como um Hipoglós ou Bepantol baby, mas achei melhor do que o Huggies); o cheirinho é bom e a proposta biodinâmica é bem interessante para quem valoriza a natureza.
Pontos negativos: é caro (no mínimo o dobro do Hipoglós); a proteção poderia ser melhor; só vem em um tamanho (75ml).

Entenda tudo sobre máscaras faciais e veja por que as famosas as amam

Entenda tudo sobre máscaras faciais e veja por que as famosas as amam

Feitas em casa ou compradas em farmácias e perfumarias, elas podem deixar a sua pele incrível. Fique de olho nos benefícios!
Por Da Redação access_time 31 maio 2018, 13h00 chat_bubble_outline more_horiz

Vira e mexe a gente vê no Instagram alguma celeb com o rosto todo melecado de máscara facial. E tanto sucesso tem uma razão: ela realmente funciona. Por isso, a CH preparou uma seleção de dicas para usar o produto. É só anotar tudo e se preparar para bancar a Maisa, a Vanessa Hudgens, a Bella Hadid… e fazer selfies bem diferentes hahaha.

maisa-mascara-facial Maisa Silva sempre testa máscaras nas redes sociais
Maisa Silva sempre testa máscaras nas redes sociais (Reprodução/Instagram)

Por que elas são boas para a pele?
As máscaras faciais possuem uma concentração maior de ativos do que outras opções de cosméticos. Além disso, durante a aplicação, passamos uma camada maior de produto na pele, o que faz com que ele penetre com maior facilidade pelos poros.

Leia também:Máscara de pepino

Para o que ela serve?
Existem muitas máscaras com diferentes funções: para hidratar, para retirar o óleo, para acalmar… A dica é investir naquela que tem mais a ver com a sua necessidade. Para a pele seca, procure um produto com ácido hialurônico, mel e óleos naturais. Para controlar a oleosidade, o ideal são opções que contenham ácido salicílico e argila verde ou branca. Já para tratar a acne, aposte em extratos naturais, como aloe vera, própolis e argila também.

bella-hadid-mascara-facial Bella Hadid e uma amiga no ~momento spa~
Bella Hadid e uma amiga no ~momento spa~ (Reprodução/Instagram)

Como usar
Antes de aplicar, lave bem o rosto para retirar as impurezas e faça uma leve esfoliação para que o produto penetre melhor na pele. Permaneça com a máscara de 10 a 15 minutos (este tempo depende das instruções da embalagem). Depois, enxágue para retirar o produto.

A periodicidade ideal
O mais indicado é usar a máscara de 15 em 15 dias. Se a pele estiver muuuito ressecada, dá para aplicá-la uma vez por semana. Importante : ela não substitui os produtos de cuidados diários. Por isso, mantenha sua rotina normalmente.

vanessa-hudgens-mascara-facial Vanessa Hudgens também é fã do produto!
Vanessa Hudgens também é fã do produto! (Reprodução/Instagram)

Veja também
habitos-fazem-bem-pele
BELEZA
8 hábitos que fazem bem para a sua pele
query_builder26 maio 2018 – 12h05
lili-reinhart-reclama-photoshop-corpo-H
BELEZA
Lili Reinhart sobre acne: “Não sei se conseguirei aceitar minha pele”
query_builder22 maio 2018 – 17h05
garota espelho
BELEZA
5 truques de beleza noturnos que fazem muito bem para sua pele
query_builder21 abr 2018 – 16h04

Caseiras X Industrializadas
Tanto as máscaras feitas em casa quanto as que compramos em perfumarias trazem benefícios para a pele. Vai optar por uma caseira? Então, fique de olho nos ingredientes. Produtos ácidos devem ficar longe das misturas, pois podem causar danos ao rosto (por exemplo, manchar a pele). Além disso, pesquise bastante para encontrar os ativos certos e chegar no resultado esperado.

multimask-mascara-facial A hasgtag #multimask virou mania de beleza da internet
A hasgtag #multimask virou mania de beleza da internet (Reprodução/Instagram)

Multimask
Que tal usar várias máscaras faciais ao mesmo tempo? A ideia é aplicar em cada parte do rosto um produto com a função específica para ela. Apesar de dar mais trabalho, o multimask funciona. O segredo é nunca misturar vários produtos e passá-los ao mesmo tempo, pois um pode neutralizar o efeito do outro.